Hotéis de subsedes da Copa elevam tarifas em até 170%

Mesmo sem receber jogos da Copa do Mundo, cidades que foram escolhidas para hospedar seleções de futebol registram alta de até 170% nas diárias dos hotéis para junho, mês do Mundial. Como a vinda de delegações internacionais de futebol é novidade para a maioria das subsedes da Copa, elas se preparam para o evento como se fosse “alta temporada”, inclusive nos preços.

Em Campinas, que irá receber as seleções de Portugal e Nigéria, em Ribeirão Preto (França) e em Sorocaba (Argélia), as quais têm como potencial o turismo de negócios, as tarifas foram reajustadas entre 42% e 170% para junho.

A consulta foi feita pela Folha de S.Paulo entre terça-feira e quarta-feira nos sites e centrais de reserva dos hotéis. Foram comparados os preços das diárias para fevereiro e junho.

Já em cidades acostumadas ao grande fluxo de turistas, como Águas de Lindóia (Costa do Marfim), Foz do Iguaçu (Coreia do Sul), Guarujá (Bósnia-Herzegóvina) e Santos (Costa Rica e México), os reajustes foram mais tímidos, entre 20% e 53%.

O hotel Stream Palace, em Ribeirão, reajustou as diárias entre 89% e 170%. A tarifa de uma suíte quase triplicou, de R$ 227 para R$ 611.

Rosemeire Zuccolotto, gerente do hotel, disse que o aumento foi determinado após receberem muitos pedidos de preços para o período da Copa. As diárias, no entanto, são negociadas de acordo com o tempo e o número de pessoas a serem hospedadas.

“Nós aumentamos a tarifa para não receber reservas de pessoas que depois poderiam não vir”, disse Rosemeire.

Apesar de muitas consultas, o hotel ainda não efetuou nenhuma reserva para junho. “Se chegar março e não registrarmos uma ocupação muito grande, poderemos rever os preços”, afirmou.

As únicas cotações até o momento foram feitas por jornalistas franceses.

Baixa Expectativa

Associações hoteleiras de algumas cidades que serão subsedes disseram não estar muito otimistas com uma alta expressiva de turistas. O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Ribeirão Preto, Carlos Frederico Marques, disse acreditar que a cidade possa receber de 15 mil a 20 mil hóspedes. “Provavelmente não receberemos muitos turistas, que vão para as cidades onde acontecerão os jogos”.

A Embratur que em 2013 verificou em dez cidades aumento de até 376%, diz que confia no “bom-senso” dos empresários da área.

Folhapress

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.