Homenagem de netos emociona fiéis na missa de D. Materna

A missa de Sétimo Dia de falecimento de Dona Maria Materna Correia Braz, celebrada neste domingo, 1º, na Igreja de Santa Terezinha, no bairro do Róger, foi marcada pela emoção. Um dos momentos mais tocantes foi a leitura de uma mensagem escrita pelos netos e que lembrou o comportamento terno, carinhoso e altruísta da matriarca.

Confira a íntegra da homenagem a Materna Braz:

Vovó Materna… Nunca esperei que esse dia chegaria, o dia da sua despedida!!! A essa hora, queria estar chegando na sua casa e a senhora me recebendo com aquela musiquinha “sua presença alegrou este lugar..” , com os braços abertos, aquele andar já tortinho e devagar e o PRINCIPAL: aquele sorriso lindo no seu rosto. Sim vovó, não existe sorriso mais lindo, mais materno como o seu!!! Como eu queria ver aquele sorriso sempre, como a senhora falava para sempre sorrimos para todos ao redor, falando que o sorriso cura qualquer doença da alma.

          Agora vem aquele filme na cabeça… Como era bom seu colinho, seu cafuné especial… Como era bom aquele balancinho na rede com as canções religiosas!!! Os garrotinhos então nem se fala… A melhor comida do mundo e PRINCIPALMENTE o melhor café era, sem dúvida, o seu!!!!! E como a senhora gostava que coméssemos bem, era sempre aquela briga na mesa vovó… Saia todo mundo correndo da mesa para a senhora não colocar mais comidas!!! Hoje, faríamos fila só para ver a satisfação da senhora de novo!!!!

                A senhora era a nossa paz… Toda vez que tínhamos problemas, a senhora sempre tinha uma palavra de conforto. Quantos netos a senhora formou.. Quantas pessoas ajudou… Quantas vezes a senhora estava com dores e até dificuldade na respiração, mas sempre envolvida nas dificuldades do dia a dia dos filhos e dos netos… Ajudou todas as filhas quando grávidas e a cuidar de seus bebês… Teve a oportunidade de mimar algumas de suas netas na gestação também, sempre mandando os ovos, feijão e farinha de milho para ninguém ter anemia… Quanto cuidado… Quantas promessas não é vovó? Quanta fé… Quantas rosas de Santa Terezinha a senhora conseguiu… E como era bom ver a sua felicidade com as nossas vitórias, as nossas aprovações nos vestibulares, as nossas formaturas, as evoluções nos empregos, os mestrados e cursos finalizados!!! Vovó, a senhora é o nosso melhor exemplo de fé e resiliência. 

            Nosso amor, nossa paixão, nosso xodó!!! Nena cuidou tão bem do nosso vozinho Pedro… Sempre tão atenciosa, tão preocupada e até mesmo durona nas horas certas. A paixão ainda era vista nos seus olhos ao contar as suas estorinhas da juventude, os ciúmes de vovô e até as cancões relembradas… Afinal, foram 66 anos de casados… E bem vividos, graças a Deus!!! Não se preocupe, seu amado será bem cuidado e amado pela nossa família. 

             Obrigada por todos os mimos minha querida avó.  Sempre lembraremos com muuuito amor das vassouras, dos panos de pratos, dos panos de chão… Tudo que a senhora comprava para si, distribuía também para filhos e netos. Tudo que a senhora queria era que nunca faltasse nada na casa de ninguém!!! 

             Como falamos inúmeras vezes, te amamos de forma incondicional. Temos orgulho do seu caráter, da sua humildade e da sua fraternidade. Agora nos resta a saudade, as lembranças e acima de tudo, a gratidão – Somos gratos por ter o privilégio de convivermos com a senhora por perto, pelos ensinamentos e por tanto amor. Vovó, a senhora transbordava amor por onde passava.

                 Agradecemos também a todos que cuidaram com tanto amor e dedicação da senhora, em especial a Dr Paulo Gottardo, Drª Elbia Assis e toda equipe da Geap. E nossa gratidão também ao Padre e as pastorais dessa paróquia.

               Descansa em paz meu amor!!! Temos a certeza que agora a senhora está na glória de Deus, muito mais feliz!!! 

               Saudades, eternas saudades!!!

             Termino a nossa homenagem com uma frase de santa terezinha que resume a vida da minha avó: “E minha vida é um único ato de amor”. 

           Com carinho, dos seus queridos netos.

Dona Materna foi casada por 66 anos com seu Pedro Braz, com quem teve cinco filhos, dentre os quais o jornalista Fernando Braz, e morava no bairro do Róger, onde era muito querida, participando ativamente das atividades da igreja e dos grupos de oração. Deixou ainda 11 netos e 14 bisnetos.

O falecimento de Materna Braz aconteceu na segunda-feira (26), no Hospital Memorial São Francisco, onde esteve internada com pneumonia.

Comentários