Greve dos bancos tem adesão de 84,73% e registra um confronto

A adesão dos bancários no primeiro dia da greve nacional da categoria atingiu 84,73% na base do Sindicato dos Bancários da Paraíba, nesta terça-feira, 30. Como sempre vem acontecendo nos últimos anos, o índice de paralisação é maior na região metropolitana da capital (89,02%) do que no interior do estado (77,55%). 
 
Para o presidente do Sindicato, Marcos Henriques, o início da greve dos bancários se deu de forma pacífica, até porque foram antecipados os pagamentos dos servidores públicos estaduais e municipais. "Graças à nossa iniciativa, em solicitar a antecipação da folha de pagamentos desses servidores, cujo pagamento se estendeu até o sábado, muitos tumultos foram evitados com o nosso movimento paredista. A mobilização vai continuar e a tendência história é ampliarmos a adesão ao longo da greve", ressaltou.
 
Agressão – O único incidente registrado no primeiro dia de greve aconteceu na Agência Centro do Bradesco, localizada na Rua Duque de Caxias, no centro de João Pessoa. Aliás, no mesmo local onde sempre ocorrem incidentes históricos durante as greves da categoria. Dessa vez, o assessor da Gerência Regional João Pessoa, Daniel Bruno Fernandes Lemos, forçou sua entrada na agência.
 
A assessoria do sindicato disse que a atitude de Daniel se deu de forma agressiva e truculenta, sem querer ouvir os argumentos dos bancários que faziam o piquete de esclarecimento, lhe informando que já havia completado a cota de funcionários para os serviços essenciais, conforme fora acordado com o Comando de Greve. Insatisfeito e muito irritado o assessor teria tentado entrar na marra. Dois diretores do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Edson Borges e Marcelo Alves disseram ter sido agredidos fisicamente por Daniel. 
 
Depois de entrar, o assessor solicitou a presença da polícia militar. De imediato, chegaram duas viaturas da PM da Paraíba, cujos policiais insistiram para conduzir os sindicalistas na viatura da polícia até a 2ª Delegacia Distrial da Capital, onde prestariam depoimento como agressores. Depois de muito ponderar sobre a inversão da autoria da agressão, os diretores do Sindicato seguiram até a delegacia no veículo do presidente da Entidade, Marcos Henriques, que também é funcionário do Bradesco. Foram ouvidos como acusados e, em seguida, prestaram queixa contra o agressor, conforme Certidão de Ocorrência Policial nº 5257/2014.
 
O secretário geral do SEEB-PB, Marcelo Alves, membro do Comando, lamentou profundamente todo o episódio. "Afinal de contas, somos todos bancários e estamos lutando contra a intransigência e prepotência dos banqueiros. Nossa luta não é contra os clientes e muito menos contra os bancários. Respeitamos todos os pontos de vista, mas infelizmente não podemos tolerar agressões gratuitas e sem o menor sentido", concluiu. 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.