Governo abre campanha e jovem que teve pólio é atração de evento

A abertura oficial da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite, na Paraíba, contou com a participação de Deivson Rodrigues Gonçalves, 22 anos, último caso de poliomielite do Brasil, registrado em 1989. Apesar do Estado ser conhecido de forma negativa por causa desse evento, o paraibano Deivson é um exemplo de superação. Sem sequelas, o rapaz foi o alvo das atenções na festa que aconteceu no Complexo Infantil Arlinda Marques, em João Pessoa, neste sábado, o ‘Dia D’ contra a pólio. “Não deixem a doença vencer. Levem os seus filhos para serem vacinados”, insistiu Deivson.

O jovem e sua mãe Devaneide Rodrigues Gonçalves participaram da abertura da campanha, a convite da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Eles moram em Sousa, no Sertão paraibano. “Eu vim com muito prazer, principalmente, porque meu filho está curado e pouca gente sabe disso. Todo mundo pensa que a doença deixou ele deficiente. Na verdade ele ficou sem andar quase cinco meses, mas com o tratamento e com muita fé, conseguimos vencer a doença. Eu acredito muito na vacina. Mesmo depois de ele ter tido a doença, com 1 ano e 5 meses, nunca deixei de levá-lo para as campanhas, até ele completar 5 anos”, disse.

Entusiasmo – O secretário José Maria de França disse que ficou muito feliz em ver Deivson bem e que ele é um símbolo da campanha na Paraíba. “O Estado está retomando com entusiasmo, dedicação e muito compromisso as campanhas da saúde e esse menino é um grande exemplo da força dos paraibanos. Mais de 4 mil profissionais de saúde em todo o Estado estão mobilizados, além de parceiros da sociedade. Vamos lutar para que todas as crianças do Estado menores de 5 anos (um total de 316.743) sejam vacinadas nesta segunda etapa e em todas as campanhas”, afirmou o secretário.

O vice-governador Luciano Cartaxo, que participou da abertura da segunda etapa da campanha, parabenizou a Secretaria da Saúde pela coordenação da campanha na Paraíba e aos municípios que estão executando a vacinação, nos mais de 1.500 postos fixos e volantes espalhados pelo Estado. A campanha começou neste sábado e as doses das vacinas continuarão sendo aplicadas nos próximos dias, nas unidades básicas de saúde, dos 223 municípios do Estado.

Além do secretário e do vice-governador, participaram da mesa de abertura da campanha a secretária-executiva da Saúde, Lourdinha Aragão; a diretora do Complexo Arlinda Marques, Darcy Lucena; o coordenador estadual da Imunização, Walter Albuquerque; o deputado estadual João Gonçalves e representantes do Rotary Clube, Joca Franca, e da Igreja Católica, padre Reginaldo dos Passos.

Importância das campanhas – Walter Albuquerque lembrou a importância de todas as crianças tomarem as três doses da vacina recomendadas no cartão de vacinação para que sejam imunizadas contra os três tipos de vírus que causam a paralisia infantil. “Deivson havia tomado duas doses e provavelmente estava imunizado contra dois tipos de vírus, mas não contra o terceiro. No caso dele, teve paralisia temporária, mas muitas crianças podem não ter a mesma sorte e levar sequelas para o resto da vida ou até morrer. As doses aplicadas nas campanhas são importantes como reforço e para garantir que o poliovírus selvagem seja combatido e a coletividade fique imunizada”, explicou.

As crianças que foram ao Arlinda Marques neste sábado foram recepcionadas pelo Zé Gotinha e Mamãe Gotinha e outros personagens infantis. Elas puderam brincar em camas elásticas, tomaram café da manhã, receberam camisetas da campanha, pipoca e algodão-doce. A Banda de Música da Polícia Militar e o Coral Jovem UniGente, da Unimed, animaram a festa.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.