Governador anuncia inclusão da Paraíba na Ferrovia Transnordestina

A Ferrovia Transnordestina será uma realidade para o Estado da Paraíba. O anúncio foi feito pelo governador José Maranhão (PMDB), que atendeu a um convite do Movimento dos Amigos de Cajazeiras (MAC), nesta sexta-feira (07), para debater o desenvolvimento econômico e humano do município e da região.

A Paraíba ficou de fora do projeto inicialmente, mas o governador Maranhão, ao assumir o Estado, comprou a “briga” e reivindicou diretamente ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a inclusão do Estado no projeto. A sintonia administrativa entre o governo federal e a atual administração estadual vai garantir o ramal da ferrovia. O projeto para a realização da obra já está em fase de elaboração.

O debate, que foi realizado no Teatro Íracles Pires de Cajazeiras, foi conduzido pelo reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Thompson Mariz. Ele destacou que o governador Maranhão é um “profundo conhecedor da Paraíba”. Ele espera que o debate sirva de balizador para futuras intervenções estratégicas capazes de melhorar o desenvolvimento de Cajazeiras e da região.

O reitor da UFCG ressaltou que as políticas de governo implantadas pelo governador Maranhão são boas e de interesse da sociedade paraibana. “Que elas possam ter prosseguimento”. Thompson Mariz ressaltou que a região polarizada por Cajazeiras tem muitas potencialidades. Ele defende propostas de desenvolvimento mais descentralizadoras, no sentido de que saiam do eixo João Pessoa-Campina Grande e se estendam ao interior.

Maranhão afirmou que o governo do Estado tem, sim, uma preocupação com o econômico e o social dos municípios. Que as cidades do interior, há 30, 40 anos, tinham uma história de desenvolvimento atrelado às culturas do sisal, algodão e cana-de-açúcar, hoje já quase inexistentes.

Ele ressaltou a necessidade de se desenvolver alternativas de industrialização no interior do Estado. Essa seria uma das propostas do plano de governo. “A indústria precisa ser direcionada as cidades do interior. Esse é um diferencial que o governo pode oferecer”. O governador lembrou que a política de incentivos às indústrias já existe, que dentro da legislação vigente chegam a 100%.

A industrialização voltada para o interior, na visão do governador, pode explorar os potenciais de cada município, a exemplo da indústria manufatureira e de calçados. Seria uma forma ainda de um melhor aproveitamento da mão-de-obra local, gerando emprego e renda para a região.

“A Paraíba tem que ousar”

Investimentos na exploração da atividade turística também fazem parte do programa de governo como mais uma alternativa de se desenvolver não apenas Cajazeiras e a região do Sertão, mas todo o Estado. Maranhão disse ainda que a universidade pode contribuir para o desenvolvimento, a partir do momento que se interioriza. “A Paraíba tem que ousar”, completou Maranhão.

O governador respondeu a perguntas de representantes da sociedade civil organizada. Falou sobre as melhorias na educação, sobre a gestão compartilhada no Hospital Regional de Cajazeiras dentro de um novo modelo de gestão hospitalar. “Quando pensamos nisso estávamos pensando na maneira de se ter uma gestão equilibrada e modernizada”, explicou.

Assuntos como o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, concentração de renda, melhorias nas estradas, recuperação das estradas, problemas referentes à região de Cajazeiras predominaram nas perguntas feitas ao governador Maranhão, que lembrou ter recebido um mandato encurtado, apenas um ano e 10 meses.

“Quando eu me preocupo com grandes projetos de desenvolvimento, não posso me esquecer que nenhuma região é atrativa se ela não tem sustentabilidade, se não tem projetos estruturantes já vigentes. Não se pode pensar em desenvolvimento econômico sem abastecimento sanitário, esgotamento sanitário, sem estradas”, afirmou.

Maranhão lembrou a situação financeira em que se encontrava o Estado que não permitia assinar contratos junto a organismos nacionais e internacionais. “Hoje a realidade é outra”, disse, se referindo a contratos de empréstimos junto ao BNDES, para equipar os hospitais, e a Corporação Andina de Fomento (CAF), para melhoria e construção de estradas.

Governador parabeniza MAC pela iniciativa

O governador José Maranhão, que atendeu ao convite do MAC para discutir formas de alavancar o desenvolvimento econômico e humano de Cajazeiras e da região, elogiou a forma apartidária como o debate foi conduzido. “Em nenhum momento se tratou de picuinhas políticas. Todas as perguntas foram dirigidas de forma a discutirmos os problemas, e com isso, apresentarmos e buscarmos soluções para desenvolver o município”, avaliou.

Ele elogiou ainda os integrantes do Movimento dos Amigos de Cajazeiras, através da direção. Disse que o organismo foi decisivo para a construção do Aeroporto Regional de Cajazeiras – a obra já está em fase adiantada -, assim como a implantação do curso de Medicina da Universidade Federal de Campina Grande. Para Maranhão, o MAC está imbuído no espírito de continuar essa mobilização pelo desenvolvimento da cidade.

“Fiquei feliz por participar, ouvir e apresentar sugestões”, disse o governador. Como não foi possível responder a todos os questionamentos, devido ao horário, foram entregues perguntas ao governador, que garantiu responder a todas. Ele reiterou o fato de que todas as perguntas feitas pelos empresários e representantes da sociedade presentes ao debate foram voltadas para o desenvolvimento de Cajazeiras. “Esta noite, o MAC deu um exemplo para toda a Paraíba”, ressaltou o governador José Maranhão.

 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.