Gominho afirma ter sido mal interpretado sobre caso de morte entre jovens

O secretário de Segurança e Defesa Social, Gustavo Gominho, concedeu hoje de manhã uma entrevista ao programa Tribuna Livre, de Washington Luiz, na Sucesso FM, e negou que tenha admitido a falência do Estado no combate à violência entre jovens. Segundo ele, quando declarou que "a situação vai piorar", ele se referiu às causas da criminalidade: "Eu não seria louco de dizer uma coisa dessas. Fui mal interpretado e, acredito, até por má fé, quando atribuiram a mim uma suposta incompetência do Estado. Eu disse que as causas da violência entre jovens tendem a piorar, porque isso nada tem a ver com segurança. O que leva à violência é a falta de emprego, de cultura, de esportes, a desagregação familiar… fatores que não têm relação com a Pasta que eu comando", disse.

A polêmica sobre o caso começou quando a reportagem da Rádio 101 entrevistou Gustavo Gominho e pediu que ele comentasse os dados pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República mostrando que João Pessoa está entre as dez capitais mais violentas do país. O estudo mostra que até 2012 devem morrer, vítimas de homicídio na capital paraibana, 278 adolescentes com idade entre 12 e 18 anos, possivelmente por arma de fogo.

"Há vários motivos pelos quais essas mortes acontecem. As polícias reprimem a criminalidade, mas não têm como evitar que o jovem saia mais de casa, que frequente as baladas, que use drogas. Essa pesquisa não tem a ver com falhas da Segurança, mas com a falta de políticas públicas que tirem os jovens das drogas", explicou ele.

O Secretário também acrescentou que o empréstimo contraído pelo Governo do Estado junto ao BNDES vai destinar R$ 10 milhões para a Pasta, que tem falhas graves, como o fato de 90% das delegacias não disporem de telefone.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.