Gervásio Maia quer presidir PMDB de João Pessoa

O deputado estadual Gervásio Maia (PMDB) explicou, ontem, porque não está fazendo parte das comissões permanentes da Assembleia Legislativa da Paraíba e porque perdeu a vaga de líder do PMDB na Casa. Ele descartou qualquer desconforto com a legenda e garantiu que se sente representado pelos demais peemedebistas. Segundo ele, continuará tentando presidir o diretório da legenda na Capital.
 
O PMDB teve uma redução na participação nas comissões temáticas. No primeiro biênio, em cada comissão que tinha sete membros, dois eram do PMDB. No entanto, a legenda perdeu os deputados Doda de Tião e Wilson Braga. Com a mudança na composição dos partidos e blocos políticos, o PEN se tornou a maior legenda na Casa e ganhou o direito a ter dois membros nestas comissões. E Gervásio, que presidia a Comissão de Orçamento, não está mais na comissão.
 
“Qualquer um dos membros do nosso partido tem o mesmo direito de participar das comissões. Eu particularmente me sinto representado por qualquer outro parlamentar do meu partido ocupando qualquer uma dessas comissões. Mas infelizmente tivemos esta redução. Com apenas uma vaga fica difícil acomodar a todos. E como já participei no biênio anterior, nada mais justo que outro tenha a oportunidade. Acho que é questão de compreensão”, declarou.
 
Gervásio também perdeu a posição de líder do PMDB na ALPB para o deputado Raniery Paulino e explicou: “Eu não dei nem entrada na indicação, eu tinha quatro assinaturas, mas dentre as quatro, eu não tinha certeza de uma dessas, então não dei entrada. Esperei conversar com todos os colegas para poder efetivamente avançar no tema. Penso que para liderar uma bancada precisa ter o apoio de todos, Como eu não tinha conversado, eu não me sentia a vontade de registrar a candidatura”, disse.
 
Já sobre a liderança da oposição, Gervásio afirmou que não estava na disputa. “Hora nenhuma eu estive pleiteando a liderança da oposição. Então, como posso ser derrotado se não coloquei meu nome para a disputa. Se eu tivesse sido candidato eu tinha que ter pelo menos trabalhado a eleição, não fui candidato e nem procurei nenhum dos meus colegas da oposição para isso. Estou extremamente satisfeito. Anísio me procurou logo no início dos trabalhos e me perguntou o que eu achava deste pleito, eu disse que avalizava na hora, que ele contava com nosso apoio”, afirmou.
 
Segundo Gervásio, a vaga que ele realmente irá disputar é a de presidente do diretório municipal do PMDB. “isso é um desejo que tenho e vem desde 2007. Mantenho este meu desejo, este meu propósito, mas não é uma sangria desatada. Temos outros nomes, nomes que tem o mesmo direito e eu vou pela maioria. Mantenho o meu desejo sim, mas acatarei a decisão da maioria. Todo processo de escolha democrático tem que se respeitar a escolha da maioria”.
 
Sem espaço para Iraê Lucena
 
Gervásio Maia afirmou que acredita que até outubro, a deputada estadual Iraê Lucena deverá sair do PMDB e ingressar em alguma legenda da base aliada do governador Ricardo Coutinho. Segundo ele, caso queira sair candidata à reeleição na Assembleia em 2014, no PMDB ela não tem mais espaço.
 
“Eu acho que Iraê terá que deixar o partido ate outubro, que é o prazo de desvinculação dos partidos para aqueles que serão candidatos. A não ser que ela não seja candidata e eu imagino que deva ser. Não conversei com ela. Se for, ela terá que deixar o PMDB. Ela sabe muito bem que no PMDB ela não tem mais espaço, sobretudo porque está ao lado do governo do Estado como deputada de situação sabendo que o PMDB é oposição na Paraíba”, declarou.
 
 
Correio da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.