Galdino promete ampliar base de João e sugere que “acomodados” peçam exoneração; ouça

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino comentou hoje a decisão do governador João Azevedo de deixar o PSB e considerou que ele não teve outra alternativa diante da condução da crise pelas direções estadual e nacional do partido. A entrevista foi concedida ao Jornal da Manhã da Rádio Jovem Pan João Pessoa, programa apresentado pelos jornalistas Cláudia Carvalho e Daniel Lustosa.

Galdino já havia deixado clara sua disposição de sair do PSB e confirmou que aguarda apenas um “caminho jurídico” para se desfiliar sem o risco de perder o mandato. Da mesma forma, segundo Adriano, devem proceder Polyana Dutra, Ricardo Barbosa e Hervázio Bezerra, acompanhando Azevedo.

O presidente da Assembleia comentou as declarações do ex-governador, Ricardo Coutinho, sobre a suposta fragilidade de João que estaria “refém” da Assembleia: “Eu dei governabilidade à gestão de Ricardo e ajo da mesma forma com João. Mas, é preciso fazer comparações e Ricardo pegou condições muito mais favoráveis que João. Ricardo assumiu e recebeu empréstimos que haviam sido contratados por Cássio Cunha Lima e não haviam sido liberados por José Maranhão e em dinheiro novo ele conseguiu quase R$ 1 bilhão usados para estradas, adutoras, etc. E ele ainda teve os governos favoráveis de Lula e Dilma, com olhares mais humanos para a Paraíba. Tudo isso facilitou a gestão de Ricardo. João não teve isso e pegou um ambiente tumultuado inclusive com a Operação Calvário. João ainda enfrenta o fogo amigo que auxiliares que estão alinhados com Ricardo e ou estão acomodados ou jogam contra o governo”, disse.

Para Galdino, o governador deve proceder a exoneração daqueles auxiliares que não se dispuserem a entregar as cartas de exoneração. “Tem gente dentro do governo acomodada. As pessoas que estão em cargos de confiança devem estar alinhadas com o governador. Quem não estiver, deve agir de forma ética de entregar os cargos. Se não fizerem, o governador deve demitir”.

Finalmente, o deputado revelou que alguns deputados atualmente na oposição tinham o interesse de se aproximar politicamente de João Azevedo , mas acabaram recuando por causa da postura do governador, que ainda estava no PSB. “Ele ainda pensava em se recompor com o PSB, mas isso não foi possível. É preciso fazer uma nova construção e eu vou começar a procurar os deputados de oposição para conversar e buscar entendimento para ampliar a base do governo na Assembleia”.

Comentários