Frente em Defesa dos Jumentos promove ato neste domingo em João Pessoa

A Frente Nacional de Defesa dos Jumentos vai promover neste domingo, 14, uma série de manifestações em todo o Brasil. Em João Pessoa, o ato público será às 15 horas no Busto de Tamandaré. O movimento é constituído por Organizações de Defesa dos Direitos dos Animais e ativistas da Causa Animalista, profissionais de diversos campos de atuação, tais como advogados, jornalistas, sociólogos, pedagogos e veterinários de todo o país, que tem por objetivo a proteção da integridade física e psíquica dos jumentos, em virtude de ocorrência de abate de jumentos em diversas localidades do Brasil.

A Frente Nacional de Defesa dos Jumentos salientou os seguintes argumentos: o animal é um símbolo do Nordeste, é importante para o ecossistema brasileiro, não há necessidade de inclusão de mais essa matriz alimentar no cardápio brasileiro, além de não haver no Brasil cultura de abate de jumentos nem de consumo desse animal. Outros fatores contra a morte dos jumentos são que a sociedade deseja a manutenção da vida repudia o abate desses animais, que correrão risco de extinção caso continuem sendo abatidos. “A Constituição Federal protege os animais e veda, na forma da lei, práticas que coloquem em risco a função ecológica, provoquem a extinção de espécies e ou submetam os animais à crueldade. Essa prática envergonha o Brasil diante dos demais países que cada vez mais reconhecem os animais não humanos como sujeitos de direito”, diz um trecho do manifesto em prol dos jumentos.

Os defensores dos animais lembram haver uma exigência na contemporaneidade quanto à mudança de paradigma na relação entre os animais humanos e os não humanos – sendo um imperativo ético-político-antropológico-filosófico e jurídico na defesa da vida dos jumentos, que exige que cesse imediatamente o abate desses animais; sejam criados e implementados, pelo poder público, santuários para acolher os jumentos.

O problema – Desde julho deste ano, um frigorífico do município de Amargosa, a cerca de 240 quilômetros de Salvador, iniciou o abate de jumentos visando vender carne e derivados ao exterior. A empresa diz que gera 150 empregos diretos e 270 indiretos com o negócio e que vai produzir cerca de 300 toneladas de carne por mês para exportação ao mercado asiático. Em Itapetinga, também em julho, outro frigorífico também iniciou o abate de jumentos, com foco principalmente no mercado chinês.

Comentários