Frei Anastácio rebate ameaças do presidente do PT na Paraíba

Parlamentar disse que segue orientações nacionais do partido que determinou aliança com o PMDB e promete entrar na justiça para ter participação no guia eleitoral do PSB/PT
 
O deputado estadual Frei Anastácio, líder do PT na Assembleia Legislativa, disse que ficou surpreso com as declarações do presidente estadual do PT, Charlinton Machado, de que ele seria julgado por não apoiar a aliança com o PSB. Frei Anastácio ressaltou que já foi perseguido por latifundiários, capangas, mas nunca esperou que fosse receber perseguição do partido que ele ajudou a construir na Paraíba. “Até o nosso programa foi cortado do guia eleitoral”, lamenta o deputado.
 
“Estou apenas seguindo as orientações nacionais do meu partido, que determinou aliança com o PMDB. Mesmo assim, o assunto ainda não teve um ponto final na justiça. Terá um ponto final sim, em Brasília. Não entendo o fato de terem cerceado o meu direito de aparecer no guia eleitoral do rádio e da TV, alegando que meu programa chegou com atraso”, desabafou o deputado acrescentando que não recebeu nenhuma orientação sobre até que hora poderia entregar as mídias do programa na produtora da coligação.
 
“Hoje, ficamos atônitos pelo fato da ausência de nossa participação no guia eleitoral, pelo fato de termos gravado o programa numa produtora independente, sem a inserção do número 40. Iremos recorrer na justiça o direito de participar democraticamente do guia eleitoral, no rádio e na TV, sem o número 40”, disse o deputado.
 
O deputado disse que quem deveria entrar em julgamento seria a direção estadual do PT, que está desobedecendo às determinações nacionais do partido, em nome de projetos pessoais e de grupos. “Estou com minha consciência limpa e continuarei seguindo a coerência e o trabalho”, disse o deputado.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.