Frei Anastácio lamenta grande número de mulheres assassinadas

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) registrou, hoje (07), na Assembleia Legislativa da Paraíba, a passagem do Dia Internacional da Mulher a ser comemorado amanhã e, ao mesmo tempo, lamentou o grande número de mulheres assassinadas no Brasil. “É lamentável que em pleno século XXI ainda exista tanta violência contra a mulher”, disse.

O deputado relatou que em 10 anos, 43 mil mulheres foram assassinadas no Brasil. “O Brasil está em 5° lugar no mundo, com a maior taxa de feminicídios, no ranking de 83 países. Uma triste realidade que precisa mudar. Estima-se que no Brasil ocorram cinco espancamentos a cada dois minutos; um estupro a cada 11 minutos; um feminicídio a cada 90 minutos; 179 relatos de agressões por  dia”, relatou.

Segundo o deputado, os dados do Mapa da Violência mostram que a mulher brasileira está no foco da violência e João Pessoa é a 3ª capital do país onde mais se mata mulheres. A Paraíba ocupa o 4° lugar no ranking nacional entre os estados brasileiros onde mais ocorre este tipo de violência.

Sob o lema Direitos e Democracia: pela vida das mulheres e pelo bem viver, o Movimento de Mulheres da Paraíba ocupará as ruas de João Pessoa, nesta quinta-feira, contra as forças econômicas, midiáticas, fundamentalistas e neoliberais.Contra a cultura da violência, o machismo, o preconceito e a discriminação.

“Ao longo de décadas, os movimentos feministas, juntamente com a iniciativa governamental, elaboraram uma das leis mais completas do mundo, a Lei Maria da Penha. No entanto, apesar da lei ter criado mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, ainda nos deparamos com uma realidade que precisa ser combatida sempre”, afirmou.

De acordo com Frei Anastácio, é com este desafio e por tantas bandeiras que as mulheres estarão nas ruas neste dia 8 de março para muitas lutas. Entre elas, defender o restabelecimento da ordem democrática, ameaçada pelo governo do golpe. Irão às ruas pela vida de todas as mulheres. Irão às ruas pedir pelo fim da violência, que nestes menos de três meses tirou a vida de 24 mulheres no Estado. Irão às ruas defender o direito de bem viver.”, disse.

As mulheres irão às ruas contra todos os retrocessos econômicos, políticos, sociais, que desmontam direitos, historicamente, conquistados, desde a concretização do Golpe parlamentar-jurídico-midiático, em curso no Brasil, desde 2016. “Vivemos um cenário preocupante, que nos convida ao desfio. Por isso, as mulheres estão nas ruas por uma sociedade sem violência contra as mulheres. Contra todas as desigualdades de gênero”, destacou.

Frei Anastácio disse ainda que as mulheres irão às ruas Contra as discriminações de raça, geração, classe, religião e sexualidade! Contra a reforma da Previdência! Contra a reforma das leis trabalhistas! Contra o desmantelo dos programas sociais, a exemplo: Minha Casa, Bolsa Família, Farmácia Popular! Em defesa dos direitos das Trabalhadoras Domésticas. Em defesa do SUS e dos programas de Saúde! Pela educação pública, inclusiva, laica e de qualidade. Contra o golpe e em defesa da democracia! Parabéns a todas as mulheres.

Comentários