Fiscalização em lotes irregulares na Paraíba será intensificada

O novo superintendente do Incra na Paraíba, Lenildo Dias de Morais, que tomará posse segunda-feira (4), às 10 horas, na própria sede da autarquia, já anunciou que irá intensificar a fiscalização para apurar denúncias de venda de lotes da reforma agrária no estado e irá realizar um levantamento para identificar a produção dos 300 assentamentos existentes na Paraíba.
   
Lenildo Morais disse que quer diagnosticar a real situação dos assentados do estado. “Vamos saber o que as famílias estão produzindo a quantidade e variedade de produtos, como essa produção está sendo vendida e escoada. Dessa forma, iremos saber também quais as dificuldades existentes nos assentamentos, para podermos melhorar a infra-estrutura dos assentamentos que não estão produzindo bem”, anunciou Lenildo.
   
Em relação à retomada de lotes, Lenildo afirma que vai dar continuidade ao trabalho da comissão implantada ainda na gestão de Frei Anastácio e que teve continuidade na administração de Marcos Faro. “Tempos que aprofundar essa fiscalização. Não é admissível que pessoas afortunadas estejam com mansões dentro de assentamentos, apenas para lazer em finais de semana, enquanto milhares de famílias moram embaixo de barracas de lona no estado”, afirmou.

Parcerias com prefeituras

O novo superintendente também quer estreitar a relação com as prefeituras dos municípios onde existem assentamentos. O objetivo, segundo ele, é estabelecer parcerias com o poder municipal para melhorar os acessos aos assentamentos, construir escolas e outros equipamentos necessários ao bem-estar das famílias da reforma agrária. Lenildo lembra que nos municípios onde existem assentamentos, grande parte da economia local tem participação dos assentados, que compram no comércio local e também vedem seus produtos nas feiras. “Essa importância da participação das famílias na economia desses municípios tem que ser levada em consideração, na busca por melhores condições de infra-estrutura”, destacou Lenildo.
   
O novo superintendente do INCRA afirmou ainda que quer estabelecer uma relação harmoniosa com os servidores da autarquia, que merecem todo apoio e respeito nas ações desenvolvidas no dia a dia. “Vamos adotar a prática de reuniões periódicas com o corpo da autarquia, para avaliarmos nosso trabalho e democratizar as ações entre os setores da instituição”, disse o superintendente acrescentando que a mesma postura transparente será tomada na relação com os movimentos sociais.

Autoridades na posse

Muitas autoridades, a exemplo do senador Wilson Santiago, do deputado federal Luiz Couto, os deputados estaduais Frei Anastácio, Anísio Maia e Luciano Cartaxo, outros parlamentares estaduais, prefeitos,secretários do estado da Paraíba já conformaram presença.Representantes dos movimentos sociais, a exemplo da Comissão Pastoral da Terra (CPT), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), além de sindicatos e ONGs, também estarão na posse.

Currículo
   
Lenildo é natural de Patos-PB, concluiu o Curso Técnico na Escola Agrícola de Lagoa Seca (PB) em 1983 e a graduação em Geografia pela Universidade Federal de Rondônia em 1995. Ele mestre em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília.
   
De abril de 1997 a janeiro de 2003 foi secretário geral e presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores em Pesquisa e Desenvolvimento Agropecário (Sinpaf) em Brasília (DF).
   
Atuou como Assessor Técnico no Senado Federal, em Brasília (DF), de fevereiro a novembro de 2003 onde foi responsável pela articulação e relacionamento institucional com órgãos da administração Federal, entidades do terceiro setor e público em geral, além de prestar assessoramento parlamentar nas diversas comissões, elaboração e apoio de projetos e acompanhamento dos processos legislativos.
   
Foi diretor executivo da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) em Brasília (DF) no período de novembro de 2003 a setembro de 2005, e diretor executivo do Programa Nacional de Vigilância em Saúde, financiado com recursos do Banco Mundial, que teve a finalidade de implantar ações complementares de atenção à saúde indígena dos 34 distritos sanitários.
   
Exerceu interinamente por diversas vezes a presidência da Funasa em função da ausência legal do presidente. Foi responsável pela supervisão das relações institucionais, atendimento ao público, a parlamentares e a gestores municipais e estaduais.
   
Em 2005 foi nomeado, pelo Ministro da Saúde, como Coordenador Regional da Funasa no Estado no Mato Grosso do Sul em função crise na saúde indígena no estado.
   
Foi diretor de Recursos Logísticos da Casa Civil, na Presidência da República, em Brasília (DF), no período de outubro de 2005 a abril de 2007.
   
De maio de 2007 a dezembro de 2008 foi chefe de Gabinete do Deputado Federal Geraldo Magela, na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).
   
Desde dezembro de 2008 trabalhava como Gerente do Escritório de Negócios da Embrapa – Transferência de Tecnologia, em Campina Grande (PB), atuando na área de políticas públicas voltadas a assentados, quilombolas e jovens agricultores. Trabalhou na implantação de projetos articulados com órgãos como o Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), a Petrobras, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, organismos estaduais de fomento, pesquisa e extensão rural, entidades do terceiro setor, e com a iniciativa privada. Atuou ainda no programa de produção de sementes e mudas para uso na cadeia de produção do biodiesel no Brasil, com ações de transferência de tecnologia, produção e comercialização de produtos agrícolas.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.