Férias de Dilma em base naval na Bahia custam R$ 650 mil

As férias de 14 dias da presidente Dilma Rousseff, que começaram ontem, podem custar pelo menos R$ 650 mil aos cofres públicos, o equivalente ao preço de 28 carros populares.

O valor foi contratado na reforma e compra de equipamentos eletrônicos e móveis para a casa que recebe a presidente na base naval de Aratu, litoral baiano.

O local já havia passado por uma reforma avaliada em R$ 800 mil, em 2009, quando hospedou o então presidente Lula. A nova restauração custou ao governo R$ 195.427,40.

A casa recebeu oito TVs de LCD, sete DVDs e um home theater. Foram comprados também R$ 37 mil em cortinas de tecido linho misto e blackouts, mais uma cama com dossel. A compra incluiu ainda espreguiçadeiras (R$ 5.599), uma chaise long dupla (R$ 4.212), três guarda-sóis (R$ 426 cada) e seis frigobares (R$ 4.885). Os dados foram levantados pela ONG Contas Abertas.

PASSEIO NA PRAIA

Esta é a primeira vez que Dilma escolhe o local para descansar como presidente. Ontem, no final da tarde, ela foi à praia com a filha, Paula.

A mãe, Dilma Jane, o neto, Gabriel, o genro, Rafael Covolo, o ex-marido Carlos Araújo e uma tia também passam férias com a presidente.

A Marinha informou que a Presidência da República se manifestaria sobre os gastos. Por sua vez, o Palácio do Planalto disse que "a Marinha estava realizando o levantamento solicitado" para comentar o caso.

É tradição no Brasil os presidentes saírem de recesso no final do ano, mas a Constituição não prevê o período de descanso formal.

 

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.