Ex-vereador e secretário de Araçagi é preso em operação da PM e PC

O ex-vereador e atual secretário de Infraestrutura da cidade de Araçagi, Chico Pessoa, está entre as 27 pessoas presas pelas Polícias Civil e Militar da Paraíba, nesta quarta-feira (13), na “Operação Jocasta”, desencadeada no município. A ação policial apreendeu também quatro adolescentes. A“Operação Jocasta” teve o objetivo de desarticular o tráfico de drogas, chefiado por uma organização criminosa local, acusada também de cometer assassinatos e assaltos em cidades do brejo paraibano.
 
Segundo o delegado seccional de Guarabira, Luciano Carvalho, os presos faziam parte de vários grupos de atuação que interagiam entre si. “Um grupo vendia armas, outro vendia drogas, outro encomendava os homicídios e assim por diante. Agiam como um círculo, que tinha como principal função da engrenagem traficar entorpecentes na Paraíba. A droga vinha da Capital, seguia para o Litoral Norte e tinha como destino final o Estado do Rio Grande do Norte”, afirmou.
 
Além das prisões, a polícia apreendeu grande quantidade de crack e maconha, além de quatro armas de fogo e munições. As investigações começaram no mês de novembro de 2013 e desde então a polícia já havia prendido seis pessoas. Por meio delas foi possível identificar mais integrantes da quadrilha.
O delegado da cidade de Araçagi, Walter Brandão, que ficou responsável pelas investigações, disse que foi importante para a desarticulação do grupo criminoso a grande ajuda que recebeu por meio do número 197 (Disque – Denúncia da Secretaria de Segurança e Defesa Social – Seds). 
 
“Após denúncias começamos a investigar e descobrimos a existência de uma rede criminosa que atuava na região do Brejo e do Vale do Mamanguape. A população foi nos ajudando com informações e conseguimos localizar o paradeiro desses criminosos. De posse dos mandados de prisão iniciamos a Operação Jocasta. Descobrimos também que eles tinham uma lista de acerto de contas. Então, com essas prisões conseguimos evitar três assassinatos”, afirmou Walter Brandão.
 
A operação contou com 220 homens das polícias Civil e Militar. Todos os presos vão responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e homicídio. 
 
O comandante do 4º Batalhão da PM, tenente coronel Arilson Valério, ressaltou a importância de desarticular o grupo criminoso e ainda desestruturar o comércio ilegal de drogas e armas que acontecia na região do brejo. “A Operação é fruto de uma investigação de cerca de nove meses. Todo o nosso esforço foi para conter o avanço da criminalidade, conseguimos tirar de circulação um grupo que aterrorizava a população com assaltos e homicídios”, disse.
 
Para o secretário de Segurança e Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima, que acompanhou de perto a ‘Operação Jocasta’, o êxito da ação se deve ao trabalho integrado das Polícias Civil e Militar. “Sem uma investigação bem feita, sem o empenho de todos os policiais envolvidos não iríamos chegar a um resultado tão satisfatório. As forças de segurança da Paraíba têm esse intuito, de trabalhar de forma integrada, desde as investigações até a prisão de criminosos, resultando em operações eficazes como essa”, finalizou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.