Ex-deputado federal é achado morto em quarto de hotel em Brasília

O ex-secretário de representação no Paraná em Brasília, Luciano Pizzatto, morreu na madrugada desta quarta-feira (21), na capital federal, aos 60 anos.

Ele teve um mal súbito pouco antes da 1h no quarto de um hotel que fica na Asa Sul, próximo à Rodoviária do Plano Piloto – área central de Brasília.

A informação da morte foi confirmada pela assessoria de imprensa da vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti (PP). Pizzatto acompanhava Cida em uma agenda em Brasília.

Segundo a Polícia Militar (PM), uma testemunha que disse que estava junto no momento da morte relatou que ele tinha histórico de problemas cardíacos, que sofria de diabetes e que teve um mal súbito logo depois de deitar na cama.

Ainda conforme a testemunha, ele caiu da cama, bateu a cabeça na cômoda ao lado e cortou a testa. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, tentou reanimá-lo, mas não conseguiu.

Em depoimento à Polícia Civil, que fez perícia no local ainda durante a madrugada, a testemunha disse que pediu socorro aos seguranças do hotel. Foi um subgerente quem acionou os militares e o Samu.

Quando eles entraram no quarto, encontraram Pizzatto “praticamente morto” e tentaram reanimá-lo com massagem cardíaca “por várias vezes”. O atestado de óbito foi registrado pelo Samu e o corpo, encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML).

O hotel em que a morte aconteceu é um dos mais antigos e tradicionais de Brasília, fundado ainda durante a construção da cidade.

Até a publicação desta reportagem, a causa do falecimento não tinha sido diagnosticada e ainda não havia informações sobre o velório e o enterro.

Carreira

Nascido em Curitiba no dia 23 de março de 1957, Pizzatto formou-se em engenharia florestal pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Ele foi deputado estadual por um mandato e federal por quatro legislaturas.

Ele também presidiu a Companhia Paranaense de Gás (Compagás).

Especialista em direito socioambiental, publicou diversos trabalho sobre questões de meio ambiente. Pizzatto deixa esposa e três filhos.

G1

Comentários