Estudo de vacina anti-HIV corre risco por falta de voluntários

O estudo de duas vacinas preventivas contra o vírus da Aids, conduzido pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo por intermédio do Centro de Referência e Treinamento em DST-Aids, pode estar comprometido por falta de voluntários, segundo informações do órgão.

Desde o dia 12 de janeiro, quando o recrutamento de voluntários foi divulgado, 184 pessoas entraram em contato com o centro. Desse total, 79 participaram de palestras informativas na unidade e somente 37 assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecimento para participar da pesquisa.

No entanto, apenas oito tinham o perfil buscado para participar do estudo, das quais seis não poderão participar por causa de suas condições de saúde. Segundo a secretaria, restam 23 vagas.

Podem se inscrever mulheres e homens entre 18 e 50 anos de idade, saudáveis e não infectados pelo HIV que residem na cidade de São Paulo ou na região metropolitana. Mulheres grávidas e amamentando não podem participar. Os homens devem ser circuncidados.

Os voluntários irão passar por avaliação médica, coleta de amostras de sangue e urina e responderão a questionários sobre práticas de exposição ao vírus.

Este é o sexto estudo de vacina preventiva contra a Aids conduzido pela Unidade de Pesquisa de Vacinas Anti-HIV do CRT-DST/Aids para a rede internacional de pesquisa de vacinas HIV Vaccine Trials Network, sediada nos EUA e composta por instituições líderes em pesquisa em 27 cidades de quatro continentes.

"É importante ressaltar que o HIV não está presente nas vacinas que serão testadas. Elas usam componente sintético, que não apresenta o menor risco de infecção pelo vírus da Aids", afirma o médico Artur Kalichman, coordenador do CRT-DST/Aids e responsável pela Unidade de Pesquisa de Vacinas.

Para se inscrever basta procurar a Unidade de Pesquisa de Vacinas Anti-HIV, pelo telefone (011) 5087-9915, e-mail vacinas@crt.saude.sp.gov.br ou ir pessoalmente ao Centro de Referência, que fica na rua Santa Cruz, 81, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo.

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.