Estado de saúde de Dilma é estável e ela está medicada, diz hospital

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) continua internada no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Boletim divulgado às 11h40 de hoje informa que ela está estável e medicada. "A paciente encontra-se estável com o uso de medicação analgésica", diz o boletim.

Dilma, que trata um câncer linfático, sentiu fortes dores ontem nas pernas após se submeter a uma sessão de quimioterapia na quinta-feira passada.

A ministra deu entrada no hospital Sírio Libanês por volta das 3h desta terça-feira após passar mal em Brasília.

Dilma se sentiu mal no começo da tarde de ontem. Ao final do dia, queixando-se do aumento da intensidade da dor na região das pernas, foi a um hospital de Brasília e tomou medicamento contra a dor.

Por volta das 22h de ontem, seus médicos providenciavam um transporte aéreo para que ela fosse levada ao Sírio-Libanês para avaliação mais detalhada.

Em viagem à China, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já foi informado sobre o estado de saúde da ministra.

Em 25 de abril, Dilma anunciou a retirada de nódulo de 2,5 centímetros da axila esquerda. O tratamento, considerado preventivo, deverá durar quatro meses. Segundo os médicos, as chances de cura são superiores a 90%.

Na sexta-feira passada, em entrevista coletiva na base aérea de Brasília, ela disse estar se sentido muito bem. "Eu estou me sentido bem, não tenho enjoo, não tenho nenhum cansaço. A minha quimio saiu muito bem, obrigada", afirmou.

Em abril, Dilma disse que não iria transformar seu tratamento num espetáculo midiático. "Devo satisfação e gratidão ao povo pelas manifestações de apoio que venho recebendo, mas não vou transformar esse tratamento num espetáculo midiático."
 

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.