Entidades estudantis lamentam desordem causada por manifestantes

Hoje, o tráfego no Centro de João Pessoa foi prejudicado por manifestantes que ocuparam as ruas. Parte deles pichou muros e ainda lançou fezes em instituições. Diante das especulações, a União Pessoense dos Estudantes Secundários (Upes-JP) e o Diretório Central dos Estudantes do Unipê (DCE-Unipê) comunicaram que não participaram da desordem desta terça-feira e que jamais apoiaram atitudes que tenham como objetivo central prejudicar os cidadãos no direito de ir e vir.
 
Os manifestantes protestaram contra o reajuste das passagens no transporte coletivo urbano de João Pessoa. As passagens saíram de R$ 2,20 para R$ 2,35 (a passagem inteira) e de R$ 1,10 para R$ 1,17 (meia-passagem).
 
No entanto, os membros da Upes-JP e do DCE-Unipê esclareceram que, os valores de R$ 2,20 e de R$ 1,10 eram os mesmos que vigoraram desde janeiro/2012. As entidades explicaram ainda que integram o Conselho de Mobilidade Urbana da Semob e, de acordo com os estudos, sobre os cálculos tarifários, realizados pela própria Semob, a tarifa técnica deveria ser de R$ 2,40. Mas o prefeito de João Pessoa decidiu reduzir o valor para R$ 2,35.
 
Por fim, a Upes-JP e o DCE-Unipê lamentaram, mais uma vez, a ação de alguns estudantes que desconhecem o real sentido da democracia. Uma vez que esses manifestantes defenderam a condição de colegiado deliberativo para o Conselho de Mobilidade Urbana, e não a de consultivo. Ou seja, esse grupo pretende que o prefeito não interfira na decisão do referido colegiado, o que seria uma espécie de ditadura.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.