Enfermeiros cobram gratificação e ameaçam paralisar atividades nesta sexta-feira em João Pessoa

Em protesto contra a falta de gratificação, enfermeiros ameaçam paralisar as atividades nesta sexta-feira (29) na capital paraibana, quando a cidade luta contra a pandemia de coronavírus.

A presidente do Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren PB), Renata Ramalho, confirmou a intenção da categoria de cruzar os braços caso não seja atendida com a gratificação dado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa apenas a médicos que atuam no combate ao Covid-19.

Em carta divulgada hoje, o Coren PB repudiou o fato da Prefeitura de João Pessoa ter deixado de foram os profissionais de enfermagem, beneficiando apenas os médicos.

“Em meio a maior crise de Saúde Pública do Planeta, o chefe do Executivo Municipal, Luciano Cartaxo, concedeu nesta quinta-feira (28) gratificação de R$ 5.300,00 para apenas uma categoria entre os profissionais de Saúde, ignorando lamentavelmente Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros, justamente as maiores vítimas no enfrentamento a Covid-19. É hora de dar um basta!”, diz a nota.

O Conselho lembra que neste momento, em toda Paraíba, 303 profissionais de Enfermagem estão afastados com suspeita de infecção por Covid-19, 89 em tratamento com diagnóstico positivo e três colegas faleceram com Coronavírus.

“A média salarial de um Técnico de Enfermagem na Paraíba é de R$ 1 mil e R$ 1,2 mil para Enfermeiros. Não podemos mais aceitar essa desvalorização da categoria”, afirma.

 

Veja nota na íntegra:

Carta aberta à sociedade paraibana

O Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren PB) vem a público manifestar seu profundo repúdio com flagrante desrespeito com os profissionais de Enfermagem por parte da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP).

Em meio a maior crise de Saúde Pública do Planeta, o chefe do Executivo Municipal, Luciano Cartaxo, concedeu nesta quinta-feira (28) gratificação de R$ 5.300,00 para apenas uma categoria entre os profissionais de Saúde, ignorando lamentavelmente Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros, justamente as maiores vítimas no enfrentamento a Covid-19. É hora de dar um basta!

Este Conselho, diante da responsabilidade de representar mais de 40 mil profissionais de Enfermagem devidamente capacitados e que dedicam suas vidas a cuidar do próximo não poderia deixar de expressar sua indignação com a ausência de isonomia no tratamento com os profissionais de Saúde. Senhor secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, Vossa Excelência considera os profissionais de enfermagem dispensáveis?

Neste momento, em toda Paraíba, 303 profissionais de Enfermagem estão afastados com suspeita de infecção por Covid-19, 89 em tratamento com diagnóstico positivo e três colegas faleceram com Coronavírus. A média salarial de um Técnico de Enfermagem na Paraíba é de R$ 1 mil e R$ 1,2 mil para Enfermeiros. Não podemos mais aceitar essa desvalorização da categoria.

Isonomia já!

Comentários