Empresas que investem em lideranças femininas, têm lucro até 15% maior

O mercado de trabalho no Brasil ainda é dominado pelos homens, porém, vem se abrindo cada vez mais para as mulheres. Um estudo mundial realizado pelo Peterson Institute for International Economics, aponta que empresas que têm mulheres em cargos gerenciais, têm crescimento maior de até 15% em seu desempenho financeiro.

A Arcos Dourados, empresa que administra a marca McDonald’s no Brasil, por exemplo, possui mais de 50% do quadro de funcionários dos seus restaurantes, em todo o Brasil, formado por mulheres.

É o caso de Andreia Santos, que há oito anos teve sua primeira oportunidade de emprego no McDonald’s, onde trabalha até hoje. Mesmo sem experiência, recebeu treinamento e começou exercendo a função de atendente. Com sua dedicação, em apenas seis meses de casa teve seu trabalho reconhecido e foi promovida a instrutora. Após um ano e oito meses contribuindo para o treinamento de novos colaboradores, Andreia assumiu novas responsabilidades ao ser promovida para gerente de área. Em mais dois anos, assumiu o cargo de gerente de plantão, liderando a equipe do restaurante.

“Além de conquistar bens materiais como carro e casa e melhorar minha qualidade de vida, o trabalho no McDonald’s e os treinamentos me ensinaram muito a como lidar com pessoas e suas diferenças e a gerenciar profissionais da mais variadas idades e trajetórias. Me sinto feliz em crescer e contribuir para o crescimento da empresa e de outros profissionais”, conta.

Para Marcelo Nóbrega, Diretor de Recursos Humanos da Arcos Dourados, esse reconhecimento só reforça a importância de práticas e iniciativas que permitam com que as mulheres tenham cada vez mais espaço em posições de liderança “Buscamos dar representatividade às mulheres, que são maioria na população brasileira e que muitas vezes são as únicas responsáveis financeiras por suas famílias, além de ser o ponto focal dos filhos. Promover condições e oportunidades para que cada vez mais elas tenham espaço nos principais cargos de liderança é o nosso desafio diário e, acredito que deva ser o de todas as empresas que se preocupam com relações igualitárias”, finaliza Nóbrega.

O Grupo Vila, empresa do ramo funerário presente na Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, é outra companhia que acredita na liderança das mulheres.

Gilmara Nascimento, supervisora de unidade, é uma dessas mulheres que se destacam na empresa. Em 2010, ela foi contratada como auxiliar financeira e, desde então, teve diversas oportunidades de crescimento no grupo. Atualmente ela lidera uma equipe de 37 funcionários de diferentes setores, como administrativo e atendimento.

Segundo a supervisora, ter ocupado diferentes cargos fez com que ela conhecesse melhor o funcionamento da empresa e isso reflete em seu trabalho. “Busco um estilo de liderança compartilhada, onde escuto bastante a equipe e eles sabem que têm essa abertura”, explica.

Comentários