Empresário que matou motoboy no Retão passou no vermelho a 163km/h; veja

Um crime brutal cometido no trânsito por volta das 4h38 da madrugada deste sábado, 11, tem mais um elemento para chocar a população. Um vídeo gravado de dentro do veículo do empresário Ruan Macário, apontado pela polícia como o responsável pela morte do motoboy Kelton Marques de Sousa, de 33 anos, mostra que ele ultrapassou o sinal vermelho no Retão de Manaíra e conduzia o carro, um Voyage, a uma velocidade de 163 km/h. Já a moto seguia em velocidade baixa e tinha sinal verde para cruzar o Retão de Manaíra pela rua Mírian Ribeiro. O registro foi divulgado pela família da vítima.

O motorista deixou o local do crime sem prestar socorro à vítima. Dentro do automóvel dele, foram encontradas latas de cerveja e uma porção de maconha.

Com o impacto da batida do carro que havia atingido antes a motocicleta de Kelton, parte do muro de um prédio foi derrubado. A moto ficou destruída e o corpo do entregador foi arremessado a uma distância aproximada de 30 metros. No momento da colisão, ele estava seguindo a ordem de entregas de um restaurante onde trabalhava. Kelton tinha duas filhas e morava em Santa Rita.

Agravantes – As redes sociais de Ruan Macário foram retiradas do ar. Mas, antes disso, havia nelas indícios para tornar o crime ainda mais revoltante. Em uma postagem de agosto, o empresário escrevera que deveria ser permitido atropelar motoqueiros. Outras fotos mostravam Ruan bebendo em festas e até mostrando um teste do bafômetro com o que agora se configura uma ironia: a frase “se beber, não dirija”.

Veja o vídeo que mostra o momento da colisão:

1 comentário

  • Danilo Sobral
    08:44

    Criminoso. Mente Criminosa. Sua arma era seu veículo. Um pai de família se foi. E agora temos um vagabundo foragido. Será só mais um Rodolfo Carlos. Enquanto tivermos quem passe pano, absolva bandidos de seus crimes e relativise seus delítos, teremos a impunidade imperando.

Comentários

Deixe um comentário para Danilo Sobral Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.