Em sete meses, mais de 400 animais são recolhidos nas rodovias federais em Patos

Em parceria com a Prefeitura de Patos, por meio da Secretaria de Agricultura do município, a Polícia Rodoviária Federal tem realizado o trabalho de apreensão de animais (jumentos e cavalos) soltos nas rodovias federais, BR- 230 e 361.

Esse trabalho é realizado há anos e, de acordo com a PRF, somente esse ano, no período de janeiro até 22 de julho, foram apreendidos quase 400 animais.

Nesse trabalho de parceria, segundo o patrulheiro Amauri Bonfim, responsável pelo carro boiadeiro, a PRF entra com o caminhão, o laçador e motorista, enquanto que a Prefeitura disponibiliza a mão de obra, infraestrutura e alimentação.

O patrulheiro explicou que a PRF não possui um local para abrigar os animais e que a parceria com a Prefeitura é muito importante. “É um trabalho conjunto que a PRF não faria se não fosse o grande apoio da Prefeitura de Patos porque a PRF entra com o caminhão, o motorista (policial rodoviário federal que é laçador) e, só que a PRF não tem um local para colocar esses animais. Aí é onde entra a grande ajuda da Prefeitura que fornece dois laçadores e também o curral”, disse.

Esclarecimento

A respeito de um animal que foi encontrado, neste domingo, 21, agonizando no curral, segundo o patrulheiro Bonfim, o cavalo foi apreendido na rodovia federal de Pombal e trazido no caminhão boiadeiro da PRF, uma vez que estava debilitado.

“Esse animal estava perambulando sobre a rodovia federal e já estava bem debilitado. Estava muito magro e quase não conseguiu subir no caminhão, já estava em condições péssimas de saúde, muito magro. É um animal que alguém já havia abandonado no perímetro urbano nas proximidades da cidade de Pombal e, então, a PRF fez esse trabalho de recolhimento juntamente com a Prefeitura”, explicou.

O patrulheiro enfatizou que a população deve contribuir com a vida daquelas pessoas que circulam nas rodovias, não soltando animais nas vias e, sempre que localizar um animal perambulando nos trechos rodoviários, deve ligar para a PRF através do 191.

O Secretário de Agricultura do Município, Júnior Guedes, afirmou que no curral para onde são destinados os animais é fornecida alimentação, como ração e capim. Para retirada do animal, o proprietário deve levar o documento pessoal, RG e CPF, assinar um termo de responsabilidade que é o TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) para crimes de menor potencial ofensivo e pagar uma taxa cobrada pela prefeitura.

Em sete meses, mais de 400 animais são recolhidos nas rodovias federais em Patos

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.