Em carta, Dilma tece elogios e atribui fim da inflação a FHC

 Em carta recheada de elogios, a presidente Dilma Rousseff classificou Fernando Henrique Cardoso como "acadêmico inovador", "político habilidoso" e "o presidente que contribuiu decisivamente para a consolidação da estabilidade econômica".

 
A mensagem foi publicada ontem em site especial criado para comemorar os 80 anos de FHC, que faz aniversário no próximo sábado.
 
No texto, Dilma diz que o tucano acredita no "diálogo como força motriz da política", "foi essencial para a consolidação da democracia brasileira" e luta por seus ideais "até os dias de hoje".
 
"Não escondo que nos últimos anos tivemos e mantemos opiniões diferentes, mas justamente por isso maior é a minha admiração por sua abertura ao confronto franco e respeitoso de ideias."
 
A presidente também elogiou FHC por ter sido o primeiro antecessor desde Juscelino Kubitschek a entregar a faixa a um político oposicionista também eleito.
 
E despediu-se chamando o adversário de "querido presidente" e transmitindo-lhe um "afetuoso abraço".
 
Dilma conviveu com FHC em 2002, quando integrou a equipe de transição montada pelo então presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.
 
O tom elogioso da carta de Dilma contrasta com a relação conflituosa entre Lula e FHC. Enquanto ocupou o Palácio do Planalto, o petista acusou o antecessor de deixar uma "herança maldita".
 
Em abril, o acusou de querer "esquecer o povão", após o tucano defender que a oposição se volte para a "nova classe média". FHC se irritou e desafiou Lula a disputar uma nova eleição contra ele.
 
Além da carta de Dilma, o site comemorativo reúne depoimentos elogiosos de políticos brasileiros e estrangeiros, como Bill Clinton e Tony Blair, ex-ministros, empresários e celebridades como Roberto Carlos, Paulo Coelho e o ex-jogador Ronaldo.
 
 
 
Folha Online
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.