Dinho avisa que o PRP só define apoio para a majoritária nas convenções

Paulo de Pádua

O vereador Dinho (PRP) mandou  hoje um recado para os outros dois vereadores do partido (Felipe Leitão e Sérgio da Sac, que tirou licença ontem): “O PRP só vai decidir em quem vai votar para o Governo depois das convenções. Até lá, tudo não vai passar de especulação e conversa de bastidor”, declarou Dinho. Ele acusou a administração municipal de não dar a atenção merecida ao partido e apontou o nome do presidente da Câmara de Campina Grande, Nelson Gomes, com condições de participar, como vice, da chapa das oposições.

Ele cobrou um tratamento mais respeitoso e uma atenção maior com o PRP por parte do prefeito Luciano Agra (PSB). “Nós não estamos tendo o tratamento merecido pela administração municipal, apesar da legenda ter obtido pouco mais de 34 mil votos nas últimas eleições municipais e ter ajudado na implantação do projeto socialista em João Pessoa”, lamentou.

Ao ser questionado que tipo de tratamento seria esse, Dinho foi curto e grosso: “O recado foi dado. Cabe para quem foi dado o recado, analisar”.  O parlamentar disse ainda que o PRP também não vai abrir mão da indicação do nome do presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, Nelson Gomes (PRP), para compor, como vice, a chapa das oposições, encabeçada pelo ex-prefeito Ricardo Coutinho (PSB), pré-candidato a Governo.

Na proporcional, ele adiantou já existir um processo de fechamento de um chapão do PRP com PTN, PV, PPS e até, provavelmente, com o PP. Com relação à esfera estadual, o parlamentar admitiu ter um carinho especial pelo governador José Maranhão, mas afirmou que não assumiu o mandato na Câmara para fazer parte da bancada oposicionista e seguir as orientações do Governo.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.