Dilma trata de infraestrutura em primeiras reuniões bilaterais

 Nas primeiras reuniões bilaterais de seu governo, neste domingo, com sete chefes de Estado e de governo, a presidente Dilma Rousseff, deu ênfase a tema relacionados à infraestrutura.

 
Durante as audiências com o primeiro-ministro da Coréia do Sul, Kim Hwang-Sik, e com o ex-primeiro-ministro do Japão Taro Aso, Dilma tratou do leilão do TAV (Trem de Alta Velocidade) entre Campinas e o Rio de Janeiro.
 
Consócio coreano que pretende disputar a licitação divulgou em novembro passado a lista de 22 empresas que formam o grupo. São 9 empresas nacionais e 13 estrangeiras. De acordo com o consórcio, juntas elas tinham patrimônio R$ 35,42 bilhões no fim de 2009 e faturamento anual de R$ 71,62 bilhões.
 
O ministro Antônio Patriota (Relações Exteriores) não deu detalhes da conversa com Kim Hwang-Sik e Taro Aso sobre o leilão, mas disse que o tema dominou ambas as audiências.
 
Além de tratar do trem-bala com o ex-primeiro-ministro japonês, Dilma agradeceu a ele por ter ajudado em acordo com a previdência social daquele país que garante benefícios aos imigrantes brasileiros no Japão.
 
O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, convidou Dilma a visitar Ramallah assim que for possível.
 
Com o vice-presidente de Cuba, José Ramón Machado Ventura, Dilma tratou da modernização e ampliação do Porto de Mariel, 50 km a oeste de Havana, para o qual Brasil concedeu um empréstimo de US$ 300 milhões. Patriota relatou que Dilma e Ventura demonstraram preocupação com a epidemia de cólera no Haiti e que os dois países querem intensificar a cooperação com aquele país, arrasado por terremoto em fevereiro do ano passado. "A intenção é impedir que a epidemia se alastre", disse o ministro, que participou do encontro.
 
Dilma e o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, conversaram sobre a entrada do país europeu no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) e sobre políticas coordenadas para atuar no órgão. Segundo Patriota, a crise na economia de alguns países europeus também foi tema do encontro, além da intensificação de parcerias comerciais entre Brasil e Portugal.
 
O príncipe Felipe de Astúrias entregou a Dilma uma carta do rei Juan Carlos, da Espanha. Segundo Patriota, conversaram sobre a agenda bilateral e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.
 
Na reunião com o presidente do Uruguai, José Mujica, Dilma combinou de manter reuniões trimestrais, como fazia o presidente Lula.
 
 
Folha Online
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.