Dilma nega “terminantemente” ter encomendado dossiês a assessor

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, negou "terminantemente" que tenha encomendado dossiês ao atual secretário nacional de Justiça, pedro Abramovay.

"Eu nego terminantemente esse tipo de conversa na véspera da eleição. Gostaria muito que houvesse da parte de quem acusou a comprovação e a prova de que algum dia eu fiz isso", afirmou Dilma.

Reportagem publicada hoje pela revista Veja traz trechos de dialogo que teria sido travado entre Abramovay e Romeu Tuma Júnior, seu antecessor no cargo. A revista não explicita a autoria das gravações. Diz apenas que foram feitas de maneira legal, e submetidas à perícia.

Dilma Rousseff falou sobre o assunto no início da tarde, em coletiva de imprensa, após carreata na cidade de Carapicuíba, na Grande São Paulo.

Aos jornalistas, a petista insinuou que Romeu Tuma Júnior tenha grampeado o diálogo com Abramovay. "Eu acredito que as pessoas que fazem esse tipo de coisa devem ter razões pessoais para fazer. Porque ninguém explica como uma pessoa grava um conversa com uma outra nessas circunstâncias. Não me coloquem no meio de práticas que eu não tenho", ressaltou Dilma.

Tuma Júnior foi afastado do Ministério da Justiça após denúncia de que ele manteria ligações com Li Kwok Kwen, apontado pela Polícia Federal como um dos chefes da máfia chinesa em São Paulo.

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.