Dilma monta ministério “test drive” para primeiro ano de governo

Até aqui, um time de ministros sem surpresas, com a marca da continuidade, ao estilo do que foi prometido pela presidente eleita, Dilma Rousseff, na campanha.

Nas palavras de um assessor, uma equipe ministerial com jeito de "test drive", escalada para ser testada durante o primeiro ano de governo. As peças que funcionarem seguem. As que emperrarem terão vida curta.

Neófita no mundo da política, Dilma não tinha uma equipe de quadros para escalar no seu time principal.

Herdeira do presidente Lula, optou por seguir os conselhos do chefe ao escolher seus principais ministros.

Dos seis nomes confirmados oficialmente, nada menos que cinco trabalharam com ela servindo ao atual presidente –Antonio Palocci, Gilberto Carvalho, Guido Mantega, Miriam Belchior e Alexandre Tombini.

Pelo menos mais sete vão engrossar esse time: Paulo Bernardo, Alexandre Padilha, Edison Lobão, Nelson Jobim, Antonio Patriota, Carlos Lupi e Fernando Haddad.

Segundo um auxiliar, Dilma opta por seguir o lema de que não se mexe em time que está ganhando. O novo técnico, porém, sempre procura dar um toque pessoal.

Foi assim que decidiu trocar Henrique Meirelles no comando do Banco Central, apesar das sugestões de Lula em mantê-lo no cargo. E vai bancar a nomeação do amigo Fernando Pimentel para uma vaga em sua equipe, o futuro ministro mais próximo dela.

Dilma ainda precisa definir as camisas dos ministros da base aliada. Tudo indica que irá buscar políticos já conhecidos ou nomes técnicos.

As novidades podem vir só depois de o jogo ter começado, quando decidir fazer reformulação, mandando alguns lulistas para o chuveiro.

 

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.