DF gasta mais em informática e publicidade que São Paulo

Apontadas pelo denunciante Durval Barbosa como as principais fontes de recursos do mensalão do DEM, as despesas com informática e publicidade do governo do Distrito Federal são maiores que as feitas pelo governo do Estado de São Paulo.

Tanto em números absolutos como relativos à receita total, o DF gastou mais com empresas de informática que São Paulo de 2007 a 2009. Nesse período, o governo de José Roberto Arruda empenhou R$ 978,3 milhões, o equivalente a 3,10% da receita, contra R$ 716,7 milhões, 0,21% da arrecadação paulista. Diferença de 1.300%.

Das 10 empresas que mais receberam dinheiro do DF, 5 são investigadas na Operação Caixa de Pandora. Linknet, Uni Repro e Call Tecnologia, que negam participação no esquema de pagamento de propina, ocupam, neste ano, os três primeiros lugares no ranking de repasses do governo.

Representantes das três empresas foram flagrados nos vídeos de Durval Barbosa, ex-secretário de Arruda, um dos responsáveis pela captação ilícita de recursos e autor das denúncias de corrupção na capital.
O montante milionário repassado para essas companhias (foram cerca de R$ 130 milhões só neste ano) contraria a versão de Arruda, que alega ser vítima de um esquema do governo passado tocado à revelia por Durval Barbosa, responsável pelos contratos com empresas de informática durante a gestão de Joaquim Roriz (1999-2006).

"Os maiores escândalos estão nas áreas que comportam terceirização e carterização, como a informática", diz o deputado distrital Chico Leite (PT), lembrando que empresas de informática sempre protagonizaram esquemas de corrupção no DF. A Linknet, por exemplo, já foi alvo de denúncia do Ministério Público no governo Roriz.

Arruda alega que o governo gasta menos com informática que a gestão anterior. Apesar de ter reduzido as despesas com empresas do ramo em relação à gestão de seu adversário político, os repasses na área aumentaram 20% entre 2007 e 2009.

O montante gasto com publicidade também aumentou nos dois primeiros anos do governo Arruda. Se comparadas as despesas com comunicação nas fundações, autarquias e administração direta em relação à receita total, os gastos do DF são 1.000% maiores que os do governo paulista. São Paulo empenhou R$ 246 milhões em 2007 e 2008, o equivalente a 0,11% da receita total. No mesmo período, o DF autorizou repasses de R$ 220 milhões, ou 1,13% da arrecadação orçada.

Ontem, por meio de assessoria, o governo do DF questionou os próprios números informados à Folha pela Secretaria de Planejamento. Disse que, de 2007 a 2009, gastou R$ 450 milhões com informática e R$ 209 milhões com publicidade.

A assessoria disse ainda que o contrato com as agências de publicidade prevê a contratação de fornecedores. "É o caso da AB Produções que grava comerciais do governo, assim como várias outras produtoras de vídeo", disse a assessoria.
 


Folha de S. Paulo

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.