Deputados reforçam pedido de investigação sobre grampo na AL

Durante a sessão ordinária de hoje, deputados estaduais de diferentes partidos prestaram solidariedade ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Marcelo (PSDB), e reforçaram a necessidade da investigação completa sobre as conclusões do laudo pericial da Polícia Federal que constatou que um microfone foi colocado ilegalmente sob uma mesa no gabinete da Presidência.

O deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) considerou como "gravíssima" a constatação do laudo pericial do Departamento Estadual da Polícia Federal e disse que só a existência do grampo no gabinete da Presidência expõe uma situação atípica vivida pelo Legislativo. "É preciso cautela nesse momento, mas não podemos nos afastar um milímetro da responsabilidade de apurar em detalhes esse caso", disse.

Para ele, o Poder Legislativo deve dar uma demonstração de unidade, como o apoio público à gestão de Ricardo Marcelo e também com o reconhecimento de sua atuação nesse caso específico. "Sem alardes, ele determinou uma varredura eletrônica no prédio da Assembleia e, ao descobrir o microfone, suspeitou do grampo e convocou a perícia da Polícia Federal. Os peritos comprovaram que o equipamento é próprio para uso em espionagem. Esses fatos merecem uma extensa e detalhada investigação", afirmou.

Outros parlamentares das bancadas de situação e oposição pediram a apuração imediata do caso e a punição dos envolvidos.

O deputado Raniery Paulino (PMDB) afirmou que vai sugerir a realização de uma varredura geral da Casa e que as investigações para a apuração sejam feitas com o máximo rigor. “O Poder Legislativo não tem nada a esconder, mas ser vigiado às escondidas é crime. O direito à privacidade está previsto na Constituição e os responsáveis devem sofrer as penalidades cabíveis”, declarou Raniery.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Lindolfo Pires (DEM) lamentou o ocorrido e disse que vai oficializar o pedido de verificação em toda a estrutura da sede do Poder Legislativo Estadual. “Não podemos aceitar algo dessa natureza na Casa do Povo”, destacou.

O deputado André Gadelha (PMDB) observou que não medirá esforços em ajudar para que sejam descobertos os responsáveis em colocar o aparelho irregular de escuta no gabinete da Presidência da ALPB. “O presidente Ricardo Marcelo tem conduzido o Poder Legislativo com muita altivez e competência, por isso presto aqui minha solidariedade a ele pelo episódio lamentável”, observou. O deputado afirmou que aguardará o laudo e também pedirá a varredura do seu gabinete além de solicitar a troca da linha telefônica do local.
 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.