Deputado nega ser preguiçoso, mas diz que não trabalha indisposto

Mafalda Moura

O deputado Nivaldo Manoel (PMDB) comentou hoje à tarde a declaração que ele mesmo deu na Assembleia Legislativa sobre não comparecer às sessões por ser preguiçoso. Ele afirmou que foi mal interpretado e alegou ter dito apenas que às vezes acorda indisposto e por isso não vai trabalhar. Ele acrescentou que indisposto ele não trabalha, nem que isso o fizesse perder o mandato.
 
– Eu nunca disse que era preguiçoso. Disse apenas que, às vezes, estou indisposto e quando isso acontece, aí falto. Sou de carne e osso, sou ser humano, igual todo mundo. Todo mundo fica indisposto, é prefeito, presidente, governador, todos são seres humanos. Quando estou assim não vou não, não tem quem faça, nem que eu perca meu mandato, mas indisposto eu não vou, e muitos também não vem, não só eu.
 
O deputado disse ainda que não se sente traído e que mesmo não sendo eleito, teve mais voto do que outros candidatos mais conhecidos. Ele ainda criticou os candidatos que compram votos.
 
– Não me sinto traído. Acho que 20.995 mil é muito voto. Tive mais voto do que muito candidato que vivia “encangado” com governador por aí. Teve candidato mais conhecido que tirou nove mil votos e eu dei de dois neles. Se eu tivesse comprado voto como muita gente fez talvez eu tivesse ganhado. Mas eu não faço isso, concluiu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.