Deputado cobra municipalização de hospitais em Pombal e Piancó

O deputado estadual Romero Rodrigues (PSDB) cobrou na Assembleia Legislativa da Paraíba a conclusão do processo de municipalização do Hospital “Wenceslau Lopes”, de Piancó, e do Hospital Distrital de Pombal “Senador Ruy Carneiro”, de Pombal, iniciados no Governo Cássio Cunha Lima.

Ele disse que os procedimentos foram realizados durante a administração do governador Cássio Cunha Lima, mas que hoje não têm sido adotadas as providências cabíveis para a conclusão do processo pelo governo atual. Acentuou que a prefeita Flávia Galdino de Piancó, junto com a população têm se mobilizando realizando movimentos em prol da saúde pública local, enfocando as questões precárias no Hospital Wenceslau Lopes.

Romero lembra que o Município de Piancó administrado pela prefeita Flávia Galdino continua lutando pela municipalização do Hospital, desde a gestão Cássio Cunha Lima, e perdeu seu contato com o novo governador da Paraíba, José Maranhão.

O parlamentar também cobra do Governo do Estado a conclusão dos procedimentos para a municipalização do hospital de Pombal que foram desenvolvidos pelo Governo Cássio Cunha Lima, aprovado pela CIB, publicado no Diário Oficial faltando apenas o Termo de Cessão de Uso (patrimônio e pessoal), com o seu acompanhamento na Casa Civil do Governo Estadual, “não sendo admissível o retrocesso nesse processo, o que certamente prejudicará a mais de 70 mil habitantes nos municípios da região de Pombal”.
 
Ele lembra que foi aprovado requerimento de sua autoria na Assembleia Legislativa de apoio à prefeita de Pombal, Poliana Feitosa, na luta pela municipalização do hospital, o mesmo acontecendo com a prefeita de Piancó.

Romero disse que a prefeita de Pombal está sendo prejudicada no Processo de conclusão da municipalização do Hospital Distrital de Pombal “Senador Ruy Carneiro”. Salientou que a população sertaneja não permitirá o fechamento do hospital. “É imprescindível o respeito à política do Sistema Único de Saúde (SUS) com gestão plena. O Poder Legislativo não aceita a retaliação política visando desestabilizar a gestão democrática eleita pela vontade popular, tendo a frente à dinâmica prefeita Poliana Feitosa”, concluiu.

Comentários