Deputado cobra contratação de concursados pelo Governo Dilma

O deputado federal Romero Rodrigues (PSDB) apresentou requerimento na Câmara dos Deputados em Brasília solicitando à presidenta Dilma Rousseff e à ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, a revisão da decisão de suspender a contratação dos concursados aprovados e classificados nos novos concursos realizados pela administração direta e indireta do Governo Federal. 
 
Segundo Romero, a decisão “é uma verdadeira injustiça praticada contra os estudantes de nosso país que se dedicam dia e noite ao estudo e se vêem impedidos de disputar uma vaga em busca de uma colocação de emprego e assumir o que lhes é de direito”.
 
Assinalou que “tantos dias devotados ao conhecimento, à preparação gastando, quase sempre, o que não tinham com cursos e livros… tudo para ocupar com dignidade e competência um cargo na Administração Pública, com o ideal de fazer sua parte para o desenvolvimento do país! E, quando enfim atingem o tão almejado objetivo, quando conseguem passar no funil tão estreito que é o concurso público… são arbitrariamente preteridos. Não podemos descansar enquanto a justiça não for feita! O cargo foi conquistado com suor, sangue e mérito… e ao final, todo esforço há de ser recompensado e não punido!”
 
Por outro lado, Romero apresentou outro requerimento solicitando que sejam abertos novos concursos nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia – IFETs para professores com Mestrado e Doutorado.
 
Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia são instituições de educação superior, básica e profissional, pluricurriculares e multicampi, especializados na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino, com base na conjugação de conhecimentos técnicos e tecnológicos às suas práticas pedagógicas. Os Institutos Federais compõem a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica.
 
A criação dos Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia tem sido tema recorrente nos debates sobre educação por todo o território nacional. Os investimentos públicos ao longo da existência da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (para cuja direção aponta a criação dos Institutos Federais) concorrem sobremaneira para a conquista da excelência e denotam comportamento típico de governos no Estado Capitalista Moderno no que diz respeito à adoção de políticas e programas sociais a fim de qualificar a mão-de-obra para o mercado de trabalho, objetivo que se complementa com a manutenção sob controle de parcelas da população não inseridas nos processos de produção.
 
Disse que se faz imperativo que sejam realizados novos concursos, a fim de contemplar as unidades dos IFETs (Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia). A instituição tem um papel preponderante na sociedade e a contratação de novos docentes permitirá a ampliação das ações da entidade educacional.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.