Defensoria revela gratificação de R$ 5 mil de Odon no Governo

Vários servidores cedidos de outras secretarias para a Defensoria Pública, durante o governo Maranhão III, estariam recebendo benefícios salariais sem dar expediente. A lista completa com os nomes será entregue hoje, pelo defensor-geral do Estado, Otávio Gomes de Araújo, ao secretário Gilberto Carneiro, da Administração. Entre os listados, chama a atenção o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB-PB), Odon Bezerra. Consta que ele recebia gratificação no órgão no valor superior a R$ 5 mil mensais.

Embora admita que está sendo preparada por sua equipe, por recomendação expressa do governador, um levantamento detalhado sobre abusos cometidos na folha de pessoal, o defensor-geral do Estado informou que caberá a ele apenas entregar à Secretaria de Administração a lista com os nomes. Caberá ao governo a conveniência de revelar a identidade dos beneficiados com gordas gratificações. Ele também não desmentiu a informação sobre Odon colhida junto a fontes da própria Defensoria.

Procurado para falar sobre o assunto, o presidente da OAB-PB negou as acusações. Odon Bezerra explicou que é servidor efetivo há mais de 30 anos do Estado, lotado no Gabinete Civil do governador. Ele afirmou ainda que possui um termo de serviço incorporado desde 1979, quando ingressou na Assembleia Legislativa.

Odon Bezerra também desmentiu as acusações segundo as quais ele estaria recebendo sem trabalhar. “Fiquei à disposição da Defensoria Pública desde o dia que fui coordenador do Procon (no governo Cícero Lucena)”, rebateu. “No ano passado (2010), tirei férias, licença prêmio e há pouco pedi licença sem vencimento. Tudo isso é normal. Vou ser devolvido à minha secretaria de origem, que é o gabinete civil do governador e devo continuar sem vencimento”, esclareceu.

Com relação à esposa, Odon Bezerra explicou que ela é efetiva do estado há mais de 25 anos, tendo a função de professora e psicóloga da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac).

Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.