Defensoria impede que novos presos sejam levados para cadeia de Cuité

O ingresso de novos presos (provisórios ou definitivos) no âmbito da Cadeia Pública de Cuité-PB durante o período de isolamento social decorrente da pandemia da Covid-19 foi suspenso pelo juiz da Comarca, Iano Miranda dos Anjos, e novos custodiados devem ser encaminhados a unidades prisionais próximas.

A medida se deu em atendimento a pedido formulado pela defensora pública Carollyne Andrade Souza, com o objetivo de preservar a saúde das pessoas em situação de cárcere e evitar a propagação do coronavírus, tendo em vista oito delas terem testado positivo para o coronavírus, sido transferidas para a Capital e uma vindo a óbito. Além destas, o próprio diretor da unidade foi contaminado.

A cadeia de Cuité possui somente quatro celas e a sua capacidade seria de apenas 30 presos, mas atualmente conta com 38 detentos em baixas condições de higiene e ventilação (antes da transferência dos oito, eram 46 custodiados. “Esses dados revelam que além de estar acima da capacidade, o estabelecimento possui um índice de contaminação absurdo de cerca de 20% da sua população”, destacou a defensora pública.

Em seu pedido, Carollyne Andrade alertou ainda para o risco de a situação vir a comprometer o sistema de saúde local : “Embora tenha obtido a informação de que todos os diagnosticados foram transferidos para a Comarca de João Pessoa, não é possível ter certeza de que não existam outros presos com Covid dentro da Cadeia, isso porque, segundo estudos, até 30% dos exames podem dar falso negativo”, afirmou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.