Decretada prisão de sargento que matou major em Cajazeiras

O juiz Ricardo Vital de Almeida, titular da Auditoria Militar Criminal, decretou, na tarde de hoje, a prisão preventiva do sargento da Polícia Militar Valdiran Ferreira Silva. O magistrado determinou, ainda, a transferência dele do 2º BPM para o 1º BPM, em João Pessoa. Valdiran foi preso em flagrante no dia 11 deste mês, acusado de matar o major sub-comandante do 6º BPM de Cajazeiras, Aldair de Souza Albuquerque.

A prisão preventiva foi anunciada após o acusado ter sido ouvido pelo juiz Ricardo Vital sobre os motivos do crime. Apesar de preso em flagrante delito, o juiz entendeu que, moralmente, se fazia necessária, como resposta judicial apropriada, a decretação da prisão preventiva. Ele também marcou para o dia 1º de julho, às 13 horas, a realização da audiência de inquirição das cinco testemunhas militares.

Conforme o Inquérito Policial Militar (IPM), por volta das 14h, o sargento efetuou seis disparos contra o major, enquanto a vítima descansava no alojamento. Cinco tiros atingiram o sub-comandante e foram os responsáveis por sua morte. Desde o dia do crime, o sargento está preso no 2º Batalhão da PM, em Campina Grande. O crime teria sido motivado por problemas de escala de trabalho.

Ao fundamentar a prisão preventiva, o juiz entendeu que este assunto poderia ter sido resolvido pelas vias legais, jamais tirando a vida de um pai de família. “Se o imputado se julgava perseguido e isto pudesse comprovar, que tivesse procurado os reclames legais apropriados, jamais enlutando uma família, toda uma instituição e a própria alma da sociedade paraibana”, disse o magistrado.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.