David Cameron é o novo primeiro-ministro britânico

O líder do Partido Conservador, David Cameron, tornou-se nesta terça-feira (11) o novo primeiro-ministro do Reino Unido, depois da renúncia do trabalhista Gordon Brown.

Seguindo a tradicão do país, a rainha Elizabeth II encarregou-o de formar um novo governo. O Partido Conservador havia vencido as eleições gerais de 6 de maio, mas sem obter maioria absoluta, o que abriu uma temporada de negociações para formar o novo governo.

Após o convite, Cameron, de 43 anos, disse que buscava um acordo com a outra força oposicionista, o Partido Liberal-Democrata, para formar um governo de coalizão "forte e estável".

Mais tarde, o novo gabinete anunciou que Nick Clegg, líder dos liberal-democratas, será vice-premiê de Cameron. Os lib-dem terão mais quatro cargos no gabinete.

Em discurso em Downing Street, minutos depois de assumir o cargo, Cameron afirmou que seu governo agirá "rapidamente para enfrentar problemas urgentes".

"Pretendo formar uma coalizão concreta e plena entre os conservadores e os liberais-democratas", afirmou logo depois de ter sido nomeado primeiro-ministro pela rainha Elizabeth II no Palácio de Buckingham.

"Acredito que este seja o jeito certo de oferecer ao país um governo forte, estável, bom e decente, ao qual precisamos tanto", completou.

Sobre os desafios de sua coalizão governamental, ele afirmou: "nós temos alguns problemas profundos e urgentes: um enorme déficit, problemas sociais, um sistema político que precisa de reforma".

Cameron elogiou seu predecessor, Gordon Brown, por seu "longo histórico de serviço dedicado" e afirmou que depois de 13 anos de trabalhismo, o Reino Unido "ficou mais aberto em casa e com mais compaixão no exterior".

O conservador vai ser o premiê britânico mais jovem desde o século XIX.

Brown saiu depois de seu partido, derrotado nas urnas, ter falhado em uma tentativa de acordo com o também oposicionista Partido Liberal-Democrata, do líder Nick Clegg.

Inicialmente, Brown havia dito que permaneceria na liderança do partido e, consequentemente, do governo, até setembro, em uma tentativa de abrir caminho para um acordo com os lib-dems. Mas, depois de cindo dias de intensas negociações, o fracasso das conversas acabou precipitando a saída do trabalhista.

Ele fez uma despedida emocionada, com um agradecimento especial a sua mulher, Sarah, e a seus principais colaboradores. Ele também estava acompanhado de seus dois filhos.

A saída de Brown encerra um ciclo de 13 anos de governos trabalhistas no Reino Unido, iniciado quando Tony Blair derrotou o conservador John Major em 1997.

Obama – O presidente dos EUA, Barack Obama, telefonou para Cameron para parabenizá-lo pela indicação, informou a Casa Branca nesta terça-feira.

 

G1

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.