Daniella acusa Lindolfo de mentir e impor ditadura à CCJ

A deputada estadual Daniella Ribeiro (PP) abriu as baterias hoje de manhã na tribuna contra o colega Lindolfo Pires (DEM), líder do Governo na Assembleia Legislativa e presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Ela reclamou da inclusão de dois projetos do Governo nas votações da comissão na última terça-feira e também reagiu à rejeição do pedido de vistas que formulou contra ambas as matérias. Irritada, Daniella acusou Lindolfo de agir como "um ditador" na condução dos trabalhos e usar de má fé para agilizar projetos de interesse do poder executivo:

– O senhor fez duas tentativas contra mim. Uma foi levar a opinião pública a imagem de que eu seria uma pessoa ausente na comissão quando vossa excelência sabe que as faltas que tive foi porque me casei e tive direito a elas. Já foram adiadas reuniões e canceladas reuniões porque vossa excelência não poderia estar. Eu sou assídua e responsável. A outra foi dizer que o projeto não era de urgência e trouxe uma novidade: a urgência do projeto. Eu tenho a gravação de suas palavras na CCJ.  A única saída para vossa excelência era dizer que não era o senhor, mas uma alma penada que estava em seu lugar. O que mudou da terça para a quarta-feira, eu não sei.  Ou vossa excelência não tinha conhecimento do projeto e teve que levá-lo correndo por determinação do Governo do Estado ou houve alguma modificação nesse projeto. Se o senhor chama de carnaval o fato de pessoas sérias quererem repor a verdade, eu continuarei fazendo carnaval. Eu não admito que minha conduta e honra sejam postos em dúvida por quem não sustenta o que diz.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.