CUT cobra mais fiscais do Trabalho na Paraíba

A Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB), junto com diversos sindicatos, vão solicitar ao Governo Federal a realização de um concurso público para a contratação de fiscais para a Superintendência Regional do Trabalho para toda a Paraíba, em especial para Campina Grande. De acordo com o vice-presidente da CUT-PB, Arimatéia França, seria necessário o dobro do número de fiscais que hoje atuam em Campina, uma média de oito.

“Realizamos uma reunião no último dia 8 entre os sindicatos de Campina e representantes da Superintedência, inclusive com o superintendente Regional do Trabalho, Inácio Machado. A principal queixa foi a falta de fiscalização em relação às empresas que possam estar descumprindo a legislação. Atualmente, o quadro de fiscais disponíveis não é suficiente para atender a demanda, porque a quantidade de empresas aumentou bastante nestes últimos anos”, destacou Arimatéia.

Segundo o vice-presidente da CUT-PB, os representantes sindicais também se queixaram sobre as empresas que estão estabelecendo bancos de horas sem a participação do sindicato. De acordo com o sindicalista, com um número maior de fiscais, haveria melhor condições de verificar possíveis irregularidades, tanto em relação a legislação trabalhista, quanto em relação à saúde do trabalhador.

Além disso, os sindicalistas também cobraram da Superintendência Regional do Trabalho a fiscalização do cumprimento das Normas Reguladoras (NRs) de Saúde do Trabalho. “A nossa preocupação é que o índice de crescimento de acidentes de trabalho vem aumentando na Paraíba”, disse Arimatéia. O sindicalista explicou que ficou acordada a proposta da CUT de realizar reuniões a cada três meses para avaliar os procedimentos e tirar encaminhamentos em relação à atuação da Superintendência Regional do Trabalho.

“A intenção da Central para as próximas reuniões com Superintendência na Paraíba é ampliar o numero de sindicatos na discussão, sobre legislação e direitos, estendendo também para os servidores públicos, trabalhadores rurais e informais e que hoje são bastante descriminados na relação do trabalho”, destacou Arimatéia.

 Na reunião do último dia 8 estavam presentes Inácio Machado (Superintendente Regional do Trabalho), Dorival Gomes (Gerente Regional do Trabalho e Emprego de Campina Grande), Jaidete de Oliveira (Chefe de fiscalização Sub. Superintendência e emprego de Campina Grande), Arimatéia França (CUT e Sindicato dos Eletricitários), Rostand Lucena (Sindicato dos Bancários), Ricardo Pordeus (Sindicato dos Telefônicos), Joel Carlos (CUT e Sindicato dos Metalúrgicos), Genésio Trindade (Sindicato dos Calçadistas), Drauzio Macedo (CUT e Sindicato Eletricitários), José de Anchieta (Sindicato dos Trab. Construção Civil), José Cordeiro (Sindicato Trab. Plásticos), Marli Melo (Sindicato dos Metalúrgicos), João Roncalli (Sindicato dos Bancários), Pedro Mota (Sindicato dos Texteis) e Zenaide Maria (Sindicato dos Trab. em Saúde Privada).

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.