CUT afirma que Maranhão se comprometeu a não instalar o TCM

O vice-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB), Arimatéia França, declarou hoje que a audiência da entidade com o governador José Maranhão (PMDB) no dia de ontem foi positiva. Segundo ele, no encontro, o chefe do executivo assumiu o compromisso de não instalar o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

"O governador nos disse que não vai implementar o TCM. Assumiu esse compromisso", disse Arimatéia.

Estavam presentes ao encontro, o vice-governador Luciano Cartaxo, o deputado estadual Rodrigo Soares, a secretária do Desenvolvimento Humano Giucélia de Figueiredo, os representantes da Associação dos Professores em Licenciatura Plena, Fernando Lira, e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba, Antonio Arruda, e de outras entidades ligadas a trabalhadores.

O governador José Maranhão disse que o governo está aberto a um constante relacionamento com as diferentes categorias profissionais. “O governo não quer ser autoritário, nem governar sem aceitar as pressões sociais legítimas ou sem manter um diálogo permanente com os trabalhadores da Paraíba”, disse.

Sobre as 11 reivindicações apresentadas para discussões, o governador disse que algumas poderão ser atendias de imediato e outras serão analisadas e implantadas de acordo com o que a situação econômica possa viabilizar. Ao final do encontro, observou que se devia discutir todos os problemas, para encontrar as soluções. “Das discussões nasce a luz. Então, vamos manter esse diálogo permanente”, comentou.

Novas secretarias – Sobre a instalação de novas secretarias estaduais para tratar das políticas da mulher e a da agricultura familiar, o governador ressaltou que se trata de uma proposta boa para a Paraíba, mas atualmente o Governo do Estado já conta com órgãos cuidando desses dois setores. “Tão logo o Estado tenha condições financeiras, vamos instalar a Secretaria da Mulher e estudar a possibilidade da instalação da Secretaria da Agricultura Familiar”, disse.

O presidente da CUT, Luis Silva, disse que todos ficaram satisfeitos com os resultados das conversas com o governador Maranhão, e considerou o encontro um momento histórico vivido pelo sindicalismo na Paraíba. “Tivemos oportunidade de instalar uma mesa permanente onde possamos dar continuidade aos problemas levantados e apresentados ao governador, exatamente com uma comissão de representantes dos sindicatos e do secretariado”, comentou.

O fórum de diálogo criado será permanente a partir do bom relacionamento que está surgindo entre o poder público e a sociedade civil. “Esse avanço significa que os problemas da Paraíba poderão ser debatidos conjuntamente e também resolvidos na medida em que as possibilidades se apresentem, de modo que possamos ajudar nesse processo de desenvolvimento do Estado”, afirmou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.