Corpo de Maranhão chega hoje à tarde e será recebido com honras militares

 

O corpo do senador José Maranhão será recebido na tarde desta terça-feira (9) com honras militares na Paraíba. O caixão será recepcionado no aeroporto Castro Pinto e será conduzido em marcha fúnebre por cadetes da Academia da Polícia Militar do Cabo Branco, segundo informou ao ParlamentoPB a assessoria da PM . No trajeto até o carro que conduzirá o corpo, ele receberá à continência acompanhada por um toque executado pela Banda de Música da PM.

O carro que levará o corpo terá a presença de batedores de escolta do Batalhão Especializado em Policiamento com Motocicletas. O sepultamento, que acontecerá em Araruna, contará com toque de silêncio, salva de tiros e demais honras previstas.

Maranhão morreu na noite de ontem (8), Aos 87 anos, em São Paulo.

Maranhão estava internado em São Paulo se tratando de complicações provocadas pelo novo coronavírus. Ele passou cerca de 70 dias internado, inicialmente no Hospital da Unimed, em João Pessoa e depois no Hospital Vila Nova Star, na capital paulista, por causa da Covid-19. A doença gerou sérias consequências respiratórias que acabaram exaurindo as forças de um dos mais longevos e conhecidos políticos da Paraíba.

José Targino Maranhão nasceu no dia 6 de setembro de 1933. Graduou-se em Direito pela UFPB. Casado com a desembargadora Maria de Fátima Bezerra, deixa três filhos (Maria Alice, Leônidas e Letícia) e dois netos (José Neto e Maria de Fátima).

O senador José Maranhão foi eleito para o segundo mandato no Senado Federal em 2014. Já havia sido senador, governador da Paraíba por três vezes, vice-governador, deputado Constituinte, deputado federal e deputado estadual. Iniciou sua carreira política em 1955 na Assembléia Legislativa da Paraíba. Teve os direitos políticos cassados pelo regime militar, mas voltou à atividade parlamentar com a redemocratização do País. Político com forte apreço popular na Paraíba, tornou-se conhecido pela alcunha de “Mestre de Obras” ao dar prioridade à construção de açudes e adutoras para levar água aos sertanejos e populações carentes de infraestrutura hídrica e projetos sociais. Orgulhava-se de ter trabalhado para levar água às torneiras de milhares de lares paraibanos e de ter sido “pioneiro da transposição” na Paraíba, antevendo e preparando o Estado para receber as águas do São Francisco.

Filiado ao MDB desde 1967, José Maranhão era um dos quadros mais fiéis e perseverantes no Partido, defensor da fidelidade partidária, da independência entre os Poderes republicanos e da política como meio fundamental de conciliação e entendimento democrático.

Era também piloto e nutria grande paixão pela aviação. Foi relator no Congresso Nacional do atual Código Brasileiro de Aeronáutica e dedicou-se nos últimos anos à reforma e elaboração do Novo Código, ainda aguardando votação. No Senado, foi presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania no biênio 2015/16.

José Maranhão licenciou-se do Senado Federal no dia 12 de janeiro. Em sua vaga, tomou posse a primeira suplente, senadora Nilda Gondim, também do MDB.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.