Coronavírus causa a morte do jornalista Eduardo Carneiro

Morreu na tarde deste sábado, 1 de maio, vítima de complicações decorrentes da Covid-19 o jornalista e empresário Antônio Eduardo Carneiro, de 51 anos. Eduardo atualmente era diretor adjunto de Comunicação da Câmara Municipal de João Pessoa e proprietário da pizzaria Capitão Farinha, em sociedade com o também jornalista Everaldo Ricardo. Dudu, como era carinhosamente chamado pelos amigos, nasceu em Mulungu.

Ao longo de sua carreira, foi secretário executivo de Comunicação de João Pessoa durante a gestão de Luciano Cartaxo e também chefe de gabinete no Governo da Paraíba durante a gestão Maranhão III. Também foi editor do Jornal A União e passou pelas principais redações dos veículos de Comunicação de João Pessoa.

O corpo de Antônio Eduardo Carneiro será velado neste domingo, 2, das 10h às 14h, no crematório Caminho da Paz em Cabedelo. Ele morreu às 16h deste sábado (01/05) no hospital da Unimed (onde estava internado desde o dia 8 de março) em virtude das complicações da Covid-19.

Ao longo de quase 30 anos, atuou como jornalista em diversos veículos de comunicação como Jornais O Norte, Correio da Paraíba e A União. Nesse último, foi responsável, enquanto editor geral, pela implantação da edição vespertina do mais antigo jornal do Estado.

Ainda na área de impresso, Antônio Eduardo Carneiro atuou como editor da Revista Nordeste. Já no telejornalismo, teve uma rápida passagem num projeto da TV Correio.

No rádio, Eduardo Carneiro também teve uma passagem na produção de notícias da Cabo Branco FM e chegou a ser coordenador de produção jornalística na 98 FM.

Na assessoria de imprensa desenvolveu inúmeros trabalhos, incluindo a atuação jornalística nos bastidores de algumas campanhas políticas. A partir daí, foi alçado a funções estratégicas nas comunicações corporativas de governos tanto do Estado, quanto da prefeitura de João Pessoa, onde atuou como secretário de comunicação adjunto na gestão de Luciano Cartaxo.

Ao longo de toda a sua trajetória, Antônio Eduardo construiu uma trajetória marcada pela competência, ética e capacidade de partilha dos seus conhecimentos. Por onde passou uniu pessoas, equipes e fez amigos.

 

 

Foro de Edileide Vilaça 

VEJA TAMBÉM

TAGS

1 comentário

  • ANTONIO FERREIRA LIMA NETO
    18:03

    Lamentável. Conheci Eduardo no curso de Comunicação Social na UFPB. Nunca fomos próximos, mas tinha uma admiração por ele. Mais uma perda para essa terrível doença!!!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.