Comerciantes vão à justiça contra as altas prestações de financiamento

Os comerciantes da Ferinha de Tambaú estiveram esta semana reunidos com a advogada e também deputada estadual Nadja Palitot(PSL). Na ocasião eles entregaram em mãos um abaixo assinado requerendo a anulação do financiamento com o Banco do Brasil dos boxes feito por meio da Prefeitura Municipal de João Pessoa, sob a alegação de que é inviável o cumprir o pagamento por conta dos altos preços cobrados nas prestações.

“A verdade é que nós fomos impelidos a fazer esse financiamento, pois caso não aceitássemos as condições impostas pela Prefeitura perderíamos os pontos. E agora estamos nesta situação. Queremos continuar nossa atividade sem a pressão de perder nossos prontos comerciais, devido as prestações que não podemos pagar, por isso resolvemos procurar a advogada Nadja Palitot e solicitarmos providências da justiça “, justificou  a comerciante Ercília Alves Lenes.

Mauro Delgado, também comerciante da Feirinha de Tambaú, está intrigado com o dito financiamento e questiona: “Eu queria saber a respeito do dinheiro do FAT – Fundo de Assistência ao Trabalhador  do Governo Federal que veio pra Prefeitura de Campina Grande e de João Pessoa. Com esse dinheiro lá em Campina o prefeito Veneziano  concedeu os pontos aos pequenos comerciantes, e aqui em João Pessoa estão cobrando da gente?”

Seu Delgado disse que por conta do valor da prestação ser muito alto já está com seis meses em atraso. “Tem gente aqui que paga mais de 500, 600 e até acima de 700 reais. Eu mesmo não tenho a menor condição de pagar o que Banco está cobrando. A Prefeitura inventou de fazer essa reforma e agora quem paga o pato somos nós que estamos aqui em busca do nosso sustento há anos e anos”, desabafou o pequeno comerciante e pai de família.

Clécia Lima de Santana também lamenta a situação em que eles se meteram.  “Além do aumento das contas de água e luz, os juros são muito altos, as prestações exorbitantes para nós simples comerciantes informais, que é o que somos. Está longe da realidade de cada de cada um de nós”, lamentou.

PETIÇÃO – Atendendo ao pedido dos pequenos comerciantes, a advogada e parlamentar Nadja Palitot através do seu mandato de deputada estadual já enviou uma representação ao Ministério Público da Paraíba e Curadoria do Cidadão a fim de que sejam tomadas providencias cabíveis em prol dos comerciantes.

“É inadmissível. Sendo área pública é da responsabilidade da própria Prefeitura. Os pequenos lucros que esses trabalhadores  têm com suas vendas é tão somente para a subsistência familiar. Eu solicitei que seja feita com urgência uma diligência na Feirinha de Tambaú, pois os comerciantes estão se sentindo intimidados, estão apreensivos, com medo do que possa vir a acontecer com eles, ou seja, eles dizem que tem notícia de que caso não possam pagar perderão seus locais de trabalho”, argumentou Palitot.

ANALOGIA – Os valores das prestações dos pequenos boxes comerciais da Feirinha, de pouquíssimos metros, são tão destoantes que por analogia ao comparar com a prestação da casa do Programa Federal “Minha Casa Minha Vida” verifica-se que enquanto a prestação mensal do Box comercial para pequenos comerciantes custa em média R$ 600; as prestações da Casa Própria, as menores são de R$ 50,00 chegando no máximo a R$ 250,00”.

“Essa distorção tem que ser corrigida e, portanto requeremos que a Prefeitura da capital seja chamada a responsabilidade para arcar com este financiamento, o que deveria ter sido feito desde o primeiro momento. Ademais, estamos lidando com um problema social envolvendo a sobrevivência de muitos trabalhadores do comércio da nossa cidade, pequenos comerciantes que necessitam da proteção legal, não só para resolver como para continuarem a desenvolver suas atividades, inclusive que tanto contribuem para o turismo em nossa cidade”, defendeu Nadja.
 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.