Com documento em mão, Eliza diz que deixa PPS amanhã

A vereadora Eliza Virgínia vai realmente entregar a sua desfiliação ao PPS amanhã. Em contrapartida, o partido não entrará na Justiça para requerer o mandato da parlamentar. Pelo menos cinco legendas já se ofereceram para acolher a vereadora. Mas ela garante que ainda não definiu seu destino partidário.

No início da tarde de ontem, Eliza Virgínia se reuniu com o presidente municipal do PPS, Fábio Carneiro. Na ocasião, ficou acertada a data e como seria feito o desligamento.

“Eles nos entregaram uma declaração, com os motivos pelos quais eu deveria me afastar e indicando os documentos necessários. Eu vou analisar e providenciar tudo para na quarta-feira entregar”, confirmou a vereadora.

“Nessa declaração, o partido também garantiu que não vai atrás do meu mandato”, acrescentou.

Depois do encontro, que aconteceu na sede do PPS, no Centro de João Pessoa, a vereadora desabafou que o desligamento é uma decisão difícil. “Não é fácil, tendo em vista que foi o meu primeiro partido, pelo qual obtive 4.873 votos”, comentou.

“Meu objetivo no mandato sempre foi manter uma fiscalização sobre o Executivo e sobre os órgãos. Porém, isso foi visto com um olhar de intriga. Quando queremos que uma gestão apresente uma prestação de contas, queremos na verdade primar pelo poder público”, observou a vereadora, ao comentar a sua postura na Câmara dos Vereadores.
 
Futuro indefinido – Mesmo tendo recebido convite de, pelo menos, cinco legendas, a vereadora não quis adiantar para qual partido iria.

“Estou primeiro virando essa página (da desfiliação) e depois terá tempo para pensar na próxima filiação. Tenho que analisar a ideologia dos partidos. O PDT, por exemplo, acho bem interessante porque ele se preocupa bastante com o setor da educação. Mas tive outros convites também como do PP, PTB, PMDB e PSDB”, afirmou.

Toda celeuma em torno da permanência ou saída de Eliza Virgínia do PPS veio à tona quando ela não seguiu a orientação do partido em apoiar a candidatura do governador eleito Ricardo Coutinho (PSB). Porém, a vereadora garantiu que os problemas existiam bem antes.

“Já estávamos enfrentando divergências. O desgaste vinha de muitos anos”, desabafou.

O presidente do PPS em João Pessoa, Fábio Carneiro, reforçou que a saída de Eliza está sendo feita de forma amigável.

“Da parte do PPS, garantimos que o partido não buscará seu mandato (da vereadora). Está tudo sendo feito de forma amigável. Apenas ela tem pensamento e tomados posições diferentes das que definimos inclusive em convenções”, comentou.

Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.