Com críticas a Guerra e à esquerda, deputado sinaliza rompimento com João

A base do governador João Azevêdo (PSB) pode ter uma baixa em breve. É o que sinalizou na manhã de hoje o deputado estadual Jutay Meneses (Republicanos). Ele fez duras críticas ao secretário-chefe de gabinete do governo, Ronaldo Guerra, e também se mostrou desconfortável com a mudança de partido do governador João Azevêdo que deixou o Cidadania e migrou para o PSB em fevereiro. As declarações de Jutay foram dadas em entrevista ao programa BandNews Manaíra 1ª edição (103,3 MHZ) na manhã desta sexta-feira, 13.

“Eu não seguirei o governador nesta orientação de voto em Lula. E ele tem dito que não aceita no palanque quem não vote nos candidatos dele. Estou esperando uma reunião com o governador para saber o que ele pensa porque o partido vai caminhar com ele, mas nem todo mundo vai caminhar com o candidato à presidência dele. Tem gente que vota em Ciro, em Bolsonaro, outros aguardam outra opção… eu sou da Igreja Universal e em conjunto decidimos que não vamos votar em partidos de esquerda. Como Lula é da esquerda, não vamos seguir”, disse ele.

Em seguida, Jutay foi questionado se isso significaria que ele não votaria também em João Azevêdo já que o governador está filiado ao PSB, que é uma sigla de esquerda: “É uma condição que eu estou colocando também. O governador era do Cidadania, era de centro e o governador tem abraçado muito a esquerda. E ele está me afastando. Se eu me afastar, ele é que está me afastando. Para os desavisados, vão dizer que eu era da base e agora estou mudando, mas eu estou seguindo a orientação do partido em relação ao Governo do Estado. Se o partido liberar, eu vou tomar minha decisão. Para isso eu vou conversar com os deputados Hugo Motta e Adriano Galdino, que são as lideranças do nosso partido. Se me liberarem, eu vou tomar minha decisão. Enquanto não, vou seguir o partido”.

Jutay não poupou críticas ao secretário Ronaldo Guerra, chefe de gabinete de João Azevêdo: “Tem muitos ruídos. Na hora que se coloca um secretário como articulador político que não ouve as lideranças, os deputados, que não tem sensibilidade nem educação para atender, acho que o governo erra muito. Não tem como ter um coordenador de uma campanha que não sabe ouvir as lideranças. Se não sabe receber um deputado da base, como vai atrair pessoas para o palanque do governo? Então, o governo erra muito em ter pessoas coordenando a campanha à reeleição e que não têm habilidade política. Estou me referindo ao secretário Ronaldo Guerra”, resumiu.

Ouça a entrevista completa concedida a Cláudia Carvalho e Cacá Barbosa que apresentam de segunda  a sexta-feira das 9h20 às 11h o BandNews Manaíra 1ª edição.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.