Com clima tenso, Câmara suspende votação de título para Bolsonaro

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa suspendeu na manhã desta quinta-feira (13) a apreciação e votação do Título de Cidadão Pessoense para Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República.

A sessão foi tumultuada desde o início, com galeria e corredores lotados por apoiadores de Bolsonaro e pessoas contrárias a concessão do título. A matéria, inclusive, nem estava na pauta de votação do dia. Mas manifestantes contrários e a favor da concessão do título lotaram galerias e corredores.

Por causa da confusão, a sessão, inclusive, teve que ser encerrada antes do previsto.

Após um parecer da Procuradoria da Casa, a Mesa atendeu a um pedido do vereador Tibério Limeira, que apresentou uma medida administrativa para que a apreciação da matéria fosse suspensa até o final do processo eleitoral.

“Esse momento é inadequado, não é propício para isso. A Câmara não pode ser palco de manifestação eleitoral para candidato A ou B”, justificou o parlamentar. Na ocasião Tibério pediu agilidade na apreciação do seu pedido e foi atendido pela Mesa Diretora.

Autor da proposta de título para Bolsonaro, o vereador Carlão da Consolação (DC) disse que iria consultar a Justiça Eleitoral.

Na tribuna da Casa, a vereadora Sandra Marrocos (PSB) disse que Bolsonaro não merece o título e que merece é um voto de repúdio da humanidade.

“Esse rapaz prega o ódio todos os dias. É tanto que ele é vítima do ódio”, declarou Sandra. A vereadora disse que não quer a morte de ninguém. “Tive um irmão assassinado e sei o que é a dor de perder alguém pela covardia. Mas não comemoro título de cidadão à facista, racista, homofóbico”, frisou.

Durante as discussões o vereador Thiago Lucena disse que, na quarta-feira (12), 19 matérias deixaram de ser votadas na Câmara por conta do impasse. “Somos pagos para trabalhar. Vamos produzir”, declarou.

Comentários