Com carrinhos apreendidos, ambulantes distribuem frutas para a população no Centro de João Pessoa

Os ambulantes alvos da ação da Prefeitura Municipal de João Pessoa na última terça-feira (23), no Mercado Central, que tiveram seus carrinhos de frutas e verduras recolhidos, distribuíram frutas no Centro da Capital nesta quinta-feira (25).

Josemar Muniz, vice-presidente da Associação dos Ambulantes e Trabalhadores em Geral da Paraíba, disse que esteve no Mercado Central hoje e percebeu que muitas caixas de frutas, como pinhas, caju e bananas, entre outras, estavam se estragando e eles decidiram distribuir as frutas com a população nos ônibus, nos carros parados nos semáforos e entre os pedestres nas ruas.

“Diante da situação de fome que muitas pessoas estão passando, a gente não poderia deixar que essas frutas se estragassem e resolvemos distribuir para a população”, afirmou.

Ele lamentou a situação dos vendedores. “É um desespero, muitas mães e pais de família chorando, passando necessidade”, disse.

Ele afirmou que até agora não foi apresentada nenhuma solução por parte do secretário de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa, Zennedy Bezerra, para a situação dos ambulantes.

“O secretário alega que as pessoas que vendem frutas são funcionários de empresários, trabalho escravo. Se isso existe, cabe a prefeitura investigar e, de fato, punir aquele que realmente merecem ser punido. Agora, não pode é usar esse pretexto para punir pais e mães de famílias que realmente só têm o seu carrinho e foi apreendido da mesma forma. Foi uma ação arbitrária”, afirmou Josemar.

Na madrugada da última terça-feira a Prefeitura de João Pessoa realizou uma ação no Mercado Central para recolher 158 carrinhos utilizados por vendedores ambulantes que estavam comercializando frutas e verduras no Centro da capital paraibana.

O secretário Zennedy Bezerra disse que a ação da prefeitura foi voltada a cinco grandes fornecedores de frutas e verduras. “Eles usam os vendedores pagando valores irrisórios, em condições análogas à escravidão. Queremos deixar claro que não estamos agindo contra os vendedores, mas contra esses grandes comerciantes”, afirmou.

A presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes de João Pessoa, Márcia Medeiros, admitiu que há muitos vendedores ambulantes utilizados pelos fornecedores, mas reclamou que comerciantes informais sem relação com fornecedores foram prejudicados.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.