Com 24 anos, veterinário é o mais jovem doutor formado pela UFPB

O pesquisador Lucas Carvalho tinha apenas 16 anos quando ingressou no curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no campus de Areia. Hoje, aos 24, é o mais jovem doutor pela UFPB – e um dos mais jovens do Brasil –, após defesa da sua tese, no último dia 31 de março, pelo Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas.

Natural de Serra Branca, cidade do interior da Paraíba com aproximadamente 13 mil habitantes (dados do IBGE em 2020), Lucas estudou toda a vida em escola pública, sempre na cidade natal, ingressando na faculdade por meio das cotas do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), no qual obteve o primeiro lugar em seu curso, em Areia. Vindo de uma família de veterinários, a escolha pelo curso foi, portanto, previsível.

Já a decisão de enveredar por outro caminho, o de pesquisador, foi imediata, logo após entrar na graduação, segundo ele. Na faculdade, foi bolsista do Pibic (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) e voluntário em projeto de extensão e em monitoria. Graduado em quatro anos e meio – o tempo mínimo em um curso com duração de cinco anos –, deu sequência à vida acadêmica de forma imediata, com um mestrado pela Pós-Graduação em Ciência Animal, também no campus da UFPB em Areia.

Mais uma vez, Lucas obteve seu título antes do tempo previsto, concluindo o mestrado em apenas 12 meses (novamente, no tempo mínimo). Foi durante o curso que o pesquisador conseguiu se destacar mais uma vez no universo acadêmico por ter desenvolvido, junto com uma equipe do Laboratório de Histologia Animal da Universidade, um aplicativo – Atlas histológico para dispositivos móveis –, para o qual foi realizado o depósito de patente pela Agência UFPB de Inovação Tecnológica (Inova), em 2019.

Ele também concluiu o doutorado no tempo mínimo – em apenas dois anos –, orientado pelo Prof. Valdir Braga, atual Pró-reitor de Pesquisa (Propesq) da UFPB. Lucas realizou sua pesquisa em parceria com a universidade Karolinska Institutet, na Suécia, onde pretende fazer pós-doutorado.

De malas prontas para embarcar, vai com a esposa, Maryanne, e o filho, Artur, de apenas nove meses, para Estocolmo, onde passará pelo menos dois anos, e espera retornar ao Brasil e à Universidade onde sua trajetória de sucesso teve início. Mas, dessa vez, como professor. “Desde o meu primeiro dia na Universidade quero ser pesquisador. Ensinei durante dois anos no Unipê, de onde tive que sair por causa do pós-doc, e gostaria muito de, um dia, ensinar na UFPB”, contou Lucas.

O mais jovem doutor da UFPB – Segundo levantamento da Pró-reitoria de Pós-Graduação (PRPG), por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas – Sigaa (dados desde 2013), Lucas Carvalho é o mais jovem discente a concluir um doutorado pela Instituição, mais novo que Djair Paulino dos Santos, que concluiu um doutorado em matemática aos 26 anos, em 2017. Levantamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes aponta que o título de mais jovem doutor no Brasil é de um estudante de 22 anos, que concluiu seu curso em um programa de pós em Engenharia, em Brasília (DF).

 

 

Agência UFPB

VEJA TAMBÉM

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.