Colunista do JB analisa chegada de Cássio ao Senado

O jornalista Leandro Mazzini, do Informe JB, trata hoje em sua coluna da hipótese de chegada do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Senado Federal. O registro de candidatura do tucano paraibano foi impugnado pela Justiça Eleitoral com base no enquadramento dele na Lei da Ficha Limpa, mas o ministro Luiz Fux, que vai desempatar a polêmica, tenderia a ser contrário à tese de retroatividade da lei. Para Mazzini, se o quesito cair, não haverá prejuízo para o governo federal.

Leia a íntegra das notas publicadas no Informe JB

A expectativa dos que não foram

Cresce em Brasília a expectativa em torno do futuro voto do novo ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, a respeito da Lei Ficha Limpa. A decisão de desempate de Fux sobre a retroatividade ou não da lei é o ponto máximo. Juiz de carreira há 30 anos, Fux está acostumado a polêmicas e já deu a entender que deve decidir logo a situação, bem baseado. Há nos corredores da toga a notícia de que não será surpresa se Fux derrubar a retroatividade, tão questionada. Nesse caso, o cenário político mudará muito em Brasília. Só para citar dois casos de peso no Senado, vindos da Paraíba e Pará, respectivamente: sobem à Casa Alta Cássio Cunha Lima (PSDB), (E) no lugar de Wilson Santiago (PMDB), e Jader Barbalho (PMDB), em lugar de Marinor Brito (PSOL). Cássio foi impugnado por ter sido cassado como governador, e Jader, pela renúncia ao próprio Senado anos atrás em meio a denúncias de quebra de decoro.

6 por meia dúzia

Se isso ocorrer, dentro do contexto citado, nada muda para o governo na Casa. O Planalto ganha um aliado: Jader, no lugar da socialista opositora; e um adversário, Cunha, em lugar do peemedebista Santiago.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.