Cícero admite disputar prefeitura e diz que “honestos” seguem roubando

O senador Cícero Lucena (PSDB) prestigiou hoje o Tambaú Debate da Nova Tambaú FM com a primeira entrevista em estúdio concedida a uma rádio paraibana este ano. Para quebrar seu silêncio, Cícero falou sobre os efeitos da Operação Confraria, a desapropriação do Aeroclube da Paraíba, os 60 primeiros dias do governo de seu adversário Ricardo Coutinho (PSB), a relação com Cássio Cunha Lima e Hervázio Bezerra (PSDB) e também sobre seu futuro, admitindo que o PSDB terá candidato a prefeito em 2012 e que seu nome está cotado para a disputa.

Dois meses de Ricardo Coutinho:

"Eu conheço Ricardo quando ele é oposição ou governo. Para mim, não há novidade. A prática de perseguir, jogar culpa em administradores passados, a Paraíba já conhece e não leva em conta. O único governante que não falou do sucessor foi Tomé de Souza, que foi o primeiro. Até Dilma está fazendo ajustes depois do Governo Lula, que gastou muito para elegê-la. Cássio quando assumiu, fez os ajustes dele, mas não fez para fazer o mal. Eu tenho visto provas disso".

Aeroclube :

"O Aeroclube interrompe o projeto urbanístico daquela área. Isso foi projetado por Hermano Almeida. O Aeroclube estava deslocado, mas o administrador público tem que obedecer à legislação e o direito à propriedade está na Constituição. Se eu, quando prefeito, tivesse tido o auxílio de Cássio como governador, poderia ter encontrado uma solução para o Aeroclube. Construia em Santa Rita ou no Conde. Não posso concordar com a pressa de se fazer o parque. Tem o Parque Arruda Câmara em Tambiá que está abandonado. A imprensa denunciou a desapropriação de uma área de preservação permanente no Cuiá por R$ 12 milhões. Por que os 30 hectares do Aeroclube só valem R$ 5 milhões. Tem um mistério aí. O que é que tem por trás disso? Houve arbitrariedade. Deve aparecer alguém para fazer uma ação prevendo que o prefeito pague a reconstrução da pista com dinheiro do bolso dele".

Luciano Agra:

"Eu coloquei recursos para serem administrados pela Prefeitura de João Pessoa e continuarei recebendo-o em meu gabinete. Estou à disposição para defender João Pessoa, mas eu não poderia errar ou pecar pela omissão. Não posso ficar calado. Eu tenho, graças a Deus, a outorga do povo de João Pessoa para fazer oposição".

PSDB

"Tenho uma história partidária. Como eu vou deixar um partido que pega o cargo mais importante do legislativo do país e me confia? Que queixa eu posso ter desse partido? Qual é o cargo mais importante hoje do País ocupado pelo PSDB? Eu mereci essa confiança por unanimidade. O PSDB tem um projeto de ter candidatura própria em todas as capitais e nas maiores cidades brasileiras para que possamos mostrar a forma do PSDB de governar. Meu nome está colocado. Eu posso ser candidato, Lauremília pode ser, como Ruy Carneiro ou João Gonçalves. Se o PSB quiser nos apoiar… hoje, a possibilidade também existe de ter o apoio do PMDB".

Operação Confraria

"Até hoje não tenho nenhuma condenação. Foram cerca de 20 processos de denúncias feitas contra mim, inclusive por Ricardo Coutinho no Tribunal de Contas. Todos os processos eu ganhei. Faz sete anos que deixei a Prefeitura. Eu, graças a Deus, tenho a chance de mostrar que sou honesto. Muitos nunca foram a julgamento e se dizem honestos, mas continuam roubando. Eu tenho tido a chance de provar minha inocência em cada processo. É tanto que alguns que me denunciaram e contribuiram para esse processo estão aproveitando pessoas que foram meus auxiliares e hoje são secretários do Governo de Ricardo Coutinho. Não acuso essas pessoas porque considero que elas também foram vítimas. Eu fui condenado antes de ser julgado.

Candidatura a prefeito

Quando você entra na vida pública, não é mais dono de si. Eu queria ser candidato a governador do Estado, mas não fui. Agora, é honroso ter a chance de ser candidato a prefeito. Tanto eu quanto os nomes que citei. As circunstâncias é que vão levar à necessidade ou não de ser candidato.Se for um desafio ou algo que me motive, eu topo.

Cássio Cunha Lima

"Eu discordei de Cássio quando celebrou-se essa aliança para concorrer ao Governo e eu estava certo. Quando você vai para uma eleição, você disputa duas coisas: um resultado eleitoral e outro político. O projeto do PSB não é o do PSDB. Eu defendo o PSDB. Tenho certeza de que a aliança do PSDB com o PSB tem data de validade. Não sei se já tem alguém magoado… só o tempo vai dizer. Não acredito que o PSDB fique satisfeito ao ver outro partido crescer. Sendo alguém do PSDB, não com interesse em contracheque. Falei com Cássio na semana passada e na nossa relação nós discordamos com a relação com o PSB. Há um conflito de interesses. Passada essa possível vitória que houve, que foi eleitoreira e não política, nós vamos nos encontrar".

Hervázio Bezerra:

"Minha relação com Hervázio é muito forte e de alegrias e tristezas juntos. Só quem pode justificar é ele mesmo. Ele vai ter que refletir. Eu disse que ele tinha uma panela fervendo e que ele poderia botar o tempero que quisesse. Se quiser, bote o tempero para apoiar Ricardo, mas muita gente não vai gostar. Se ele quiser ficar com a gente, todos que votaram e confiaram em você, vão gostar do tempero".

Indagado sobre o desgaste da relação de amizade com o vereador, Cícero resumiu: "Como eu não sei o que ele vai fazer, não posso dar opinião".

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.