Chico Oliveira dá versão dele sobre gravação: “Foi uma brincadeira”

O candidato do PCB ao Governo da Paraíba, Francisco Oliveira, retornou por volta das 15h20, aos vários telefonemas feitos para ele pela reportagem do Parlamentopb para ouvi-lo a respeito da gravação em que ele aparece dizendo que o presidente de seu partido, Ivan Pinheiro, teria recebido R$ 400 mil para impetrar a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que culminou na cassação do ex-governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB).

Por telefone, Chico confirmou que a conversa realmente existiu e se deu na Praça de Alimentação do Shopping Tambiá antes das eleições. O interlocutor, segundo ele, é o historiador Valdir Porfírio, que ele acusa de ter gravado o diálogo.

"O que eu disse foi apenas uma reação a quem estava me provocando. Ele queria me humilhar, me menosprezar. Disse que eu não iria nem sair candidato ao Governo. Acho que quem gravou foi Valdir Porfírio. Eu inventei uma ficção porque ele ficava me menosprezando e dizendo que o partido estava vendido, que tinha sido vendido a Maranhão. Essa gravação é antiga e foi feita no cafezinho do Shopping Tambiá. Estavam junto os jornalistas João Costa e Rubens Nóbrega", disse Chico.

O Parlamentopb quis gravar uma entrevista por telefone, mas Chico disse que preferia falar pessoalmente e que iria ao encontro da jornalista Cláudia Carvalho. O áudio será veiculado tão logo o candidato conceda a entrevista.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.